Temer e Vaccarezza contradizem Ideli sobre imposto para saúde

Enquanto ministra admite que o governo ainda quer novo imposto, vice-presidente e líder na Câmara negam essa perspectiva

Carolina Cimenti, de Nova York |

Em visita a Nova York, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT), afirmaram que por enquanto “não há perspectiva de um novo imposto”. "Até a minha saída ( do Brasil ) no sábado não havia perspectiva da criação de um novo imposto. O que há é a dificuldade de arrumar recursos para a saúde e talvez as avaliações feitas pela Fazenda tenham apontado à necessidade de um novo imposto. Mas não havia essa cogitação, e o tempo é que vai dizer", afirmou Temer.

a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti (PT), admite que o governo ainda quer a criação de um imposto para financiar investimentos em saúde e arrecadar mais R$ 45 bilhões por ano . A expectativa do Palácio do Planalto é que o tributo seja aprovado em 2012, apesar das dificuldades previstas por causa das eleições municipais.

De acordo com Vaccarezza, não existe nem na Câmara, nem no Senado, trâmite de nenhum projeto que possa criar um imposto similar à antiga CPMF. “Sobre uma outra fonte de financiamento ( à saúde ), o que há é uma discussão aberta com a sociedade brasileira para ( encontrar uma solução ) em um outro momento”, disse o líder. Ele também explicou que o projeto de financiamento da saúde foi passado da Câmara ao Senado sem base de cálculo. Por isso, mesmo que existissem senadores interessados na criação de um novo imposto, com esse projeto, isso não seria possível.

Quando questionado sobre como o governo brasileiro trabalhará para evitar que o País sofra com a nova onda da crise econômica, Temer lembrou que o Brasil é um dos países com maior quantidade de reservas atualmente e disse que o governo está preparado para agir, caso seja necessário. “Nós já temos o know-how da crise anterior”, afirmou o vise-presidente.

Nova Yor k

Temer e Vaccarezza estão em Nova York para participarem da terceira edição do Fórum de Desenvolvimento Sustentável, organizado pelo empresário Mario Garnero, da Brasilinvest.

No seu discurso de abertura do evento, Temer mencionou inúmeras vezes que o Brasil vai sediar o evento Rio+20 em março de 2012, e defendeu que o país está em uma posição privilegiada para liderar o desenvolvimento e as negociações relacionadas ao meio ambiente no mundo. “O fundamental é não deixar que as políticas verdes atrapalhem o crescimento econômico, pelo contrário, os investimentos no meio ambiente têm que possibilitar crescimento sustentável e integração social”, afirmou.

    Leia tudo sobre: Emenda 29SaúdeOrçamentovotaçãoTemerVaccarezza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG