PCdoB mobiliza partidos aliados para defender ministro do Esporte

Partido de Orlando Silva articula apoio no PT e no PMDB na audiência desta terça-feira na Câmara dos Deputados

Adriano Ceolin, iG Brasília |

AE
O ministro do Esporte, Orlando Silva
O PC do B articulou uma frente em defesa do ministro do Esporte, Orlando Silva, na Câmara dos Deputados. Hoje, a partir das 14h30, ele presta esclarecimentos sobre as denúncias de corrupção na pasta que comanda desde abril de 2006. O próprio Orlando solicitou a audiência conjunta nas comissões de Fiscalização Financeira e Controle e de Turismo e de Desportos.

O objetivo do ministro é estancar que a crise abalou sua permanência no Ministério. Desde o princípio, ele conta com o apoio do seu partido, o PC do B. Ontem o líder comunista na Câmara, Osmar Júnior (PI), afirmou que espera o apoio do PT e PMDB, as duas maiores bancadas na Casa, para responder às provocações da oposição.

“Nós contamos com o apoio do PT e do PMDB porque, afinal de contas, o ministro tem prestado um grande serviço ao País e ao governo”, afirmou Osmar Júnior. O líder comunista disse não temer fogo-amigo de petistas e peemedebistas, que supostamente estariam interessados em ficar com a pasta do Esporte.

O líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), afirmou que o partido vai ouvir os esclarecimentos de Silva. “Como a presidenta Dilma Rousseff e a chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann , nós confiamos na palavra dele”, disse o petista, comentando as declarações de apoio feitas pelas duas ao longo do dia de ontem .

O líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), elogiou a decisão de Orlando Silva de se colocar à disposição para prestar esclarecimentos. “Teve uma boa atitude ao se adiantar e pedir para falar na Câmara”, disse. O peemedebista, contudo, afirmou que sua bancada não fará  uma defesa automática do ministro do Esporte. “Vamos ouvir a verdade dele primeiro”, completou.

Agnelo e CBF

O iG apurou que Orlando Silva poderá adotar uma estratégia de defesa arriscada na medida em que for colocado contra parede.

Ele recebeu aval do comando do PC do B para creditar à gestão de Agnelo Queiróz a contratação da organização não-governamental do policial militar João Dias Ferreira, denunciante do suposto esquema de corrupção envolvendo convênios no Esporte. Em entrevista nesta segunda-feira, Orlando já fez isso .

Também fará parte da estratégia de Orlando Silva dizer que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estaria por trás das denúncias contra ele por causa de sua postura em relação à organização da Copa do Mundo. O governo tomou medidas que contrariaram a CBF e Fifa, como a manutenção na meia-entrada.

Agnelo foi ministro do Esporte, entre janeiro de 2003 e abril de 2006, quando o primeiro convênio com a entidade de Ferreira foi firmado. Na época, ele também era filiado ao PC do B. Em 2006, chegou a disputar uma vaga ao Senado pelo partido.

Derrotado por Joaquim Roriz (PSC), ele resolveu filiar-se ao PT em 2008. No ano passado, Agnelo disputou o governo do Distrito Federal e ganhou no segundo turno. Sua administração, porém, tem sido criticada e mal avaliada até o momento.

    Leia tudo sobre: Crise no EsporteOrlando Silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG