Tamanho do texto

Pesquisa revela ainda que, para 81% dos brasileiros, ter mais mulheres em posição de poder aprimoraria a administração pública; veja o levantamento

Senado durante sessão solene do Congresso destinada ao lançamento da Campanha
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Senado durante sessão solene do Congresso destinada ao lançamento da Campanha "Mulher na Política", do TSE, em 2016

Um levantamento feito pelo Ibope – encomendado pela ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas para a igualdade de gênero – e divulgado nesta sexta-feira (14) revela que 77% dos brasileiros – homens e mulheres – acreditam que deveria ser obrigatória uma maior participação de mulheres na política, principalmente no Poder Legislativo.

Leia também: Jornalista, feminista e candidata a vice de Haddad: conheça Manuela D’Ávila

Para essas pessoas, deveria ser lei que as casas legislativas – Congresso, câmaras de vereadores e assembleias legislativas estaduais – fossem preenchidas metade por homens e a outra metade por mulheres. A opinião dos diferentes gêneros, a respeito desse incentivo às mulheres na política , divergiu: entre as mulheres, 82% concordam. Entre os homens, 71%.

Porém, mesmo com tal divergência, 81% dos brasileiros, de ambos os sexos, concordam com uma coisa: se houvesse uma maior presença de mulheres em postos de poder e decisão na política, ela seria aprimorada.

Leia também: SP: programa dará emprego a mulheres vítimas de violência doméstica

Ao todo, foram entrevistados nesse levantamento 2.002 pessoas, todos com mais de 16 anos de idade, em um total de 141 municípios distribuídos em todo o Brasil. 

Mesmo com poucas mulheres na política, são elas quem decidem

ONU Mulheres lançou a plataforma Brasil 50-50 com o objetivo de incentivar a participação de mulheres na política
Jr./ ASICS/ TSE
ONU Mulheres lançou a plataforma Brasil 50-50 com o objetivo de incentivar a participação de mulheres na política

Apesar de ainda ter pouca representatividade nas casas legislativas – na Câmara Federal, em 2014, foram escolhidas 51 mulheres, ou seja, apenas 9,9% das 513 cadeiras, enquanto que o Senado ficou com 11 mulheres em meio a 81 senadores, 13,6% da Casa –, é o voto das brasileiras que será decisivo nestas próximas eleições.

Afinal, elas representam 52,5% do eleitorado brasileiro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E, segundo as últimas pesquisas, ao menos metade das eleitoras permanece indecisa a menos de um mês do primeiro turno. 

Leia também: Polícia Federal descarta participação de mulher em ataque contra Bolsonaro

Frente a isso, a ONU Mulheres lançou a plataforma Brasil 50-50, que tem o objetivo de incentivar, em busca da igualdade, a participação de mulheres no cenário político. Pela plataforma, os candidatos podem assumir um compromisso público com políticas de igualdade de gênero e os eleitores podem encontrar esses candidatos comprometidos em colocar as mulheres na política .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.