Tamanho do texto

Jovem que supostamente aparecia em vídeos da cena do crime foi apontada em redes sociais como responsável por entregar faca a Adélio Bispo Oliveira

Jovem denunciou ameaças de morte após ser acusada por internautas de participar do ataque contra Jair Bolsonaro
Reprodução/Twitter
Jovem denunciou ameaças de morte após ser acusada por internautas de participar do ataque contra Jair Bolsonaro

A Polícia Federal descartou a participação de Aryane Campos no atentado contra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro. A mulher que supostamente aparecia em vídeos da cena do crime foi apontada em redes sociais por apoiadores do candidato como responsável por entregar a faca a Adélio Bispo Oliveira, de 40 anos, que foi utilizada no  ataque a Bolsonaro na quinta-feira (6) em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Na tarde desta segunda-feira (10), uma jovem de 18 anos, moradora de Juiz de Fora (MG), denunciou à PF e à polícia de Minas Gerais estar recebendo ameaças de morte após ser acusada por internautas de participar do ataque contra Jair Bolsonaro

A estudante passou a ser alvo de ameaças após ser confundida com uma mulher homônima que alguns internautas acusam de ter entregue a Adélio Bispo de Oliveira a faca com que o desempregado feriu o político.

A jovem é a segunda pessoa cujo nome e dados pessoais são divulgados nas redes sociais por internautas que as acusam, sem provas, de participação no crime.

“Existem muitas pessoas com um nome parecido ao da minha filha. De repente, ela começou a ver sua foto divulgada nas redes sociais. Divulgaram inclusive o número do telefone dela. Passaram a telefonar dizendo que vão encontrá-la; que vão matá-la; que ela deve ser presa”, contou a mãe da menina.

Leia também: Igreja Testemunhas de Jeová ameaça processar advogado do agressor de Bolsonaro

A mãe acrescentou ainda que a filha, que está no ensino médio, estava em casa no momento em que o candidato foi esfaqueado e não tem envolvimento com política partidária. “Nós ainda nem sabemos ao certo em quem vamos votar. Conversamos sobre política como qualquer família ou pessoa”, acrescentou a mãe da menina, pedindo que seu nome não fosse divulgado.

Temendo pela segurança da filha, a família deu queixa das ameaças à polícia e compareceu à delegacia da PF, em Juiz de Fora.

Agressor de Jair Bolsonaro

Polícia Militar de Minas Gerais identificou o autor do ataque contra Jair Bolsonaro como Adélio Bispo de Oliveira
DIVULGAÇÃO/ POLÍCIA MILITAR
Polícia Militar de Minas Gerais identificou o autor do ataque contra Jair Bolsonaro como Adélio Bispo de Oliveira

Adélio Bispo Oliveira  foi indiciado no Artigo 20 da Lei de Segurança Nacional, que prevê ataques à pessoas ou atos de terrorismo praticados por inconformismo político ou para a obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas são passíveis de pena de reclusão de até dez anos – punição que pode ser dobrada quando houver lesão corporal grave; ou triplicada quando o ataque causar a morte da vítima.

Em sua conta no Twitter, o filho de Jair Bolsonaro , o deputado federal Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), escreveu que algumas pessoas tratadas nos vídeos como se tivessem colaborado com o atentado já foram identificadas e não têm relação com o crime.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.