Tamanho do texto

Integrantes de comissão representativa vão exercer as atribuições de caráter urgente que não possam aguardar o início do período legislativo, em agosto

No Senado, titulares são Waldemir Moka, Romero Jucá (foto), Dalírio Beber, João Capiberibe, Cidinho Santos e Alvaro Dias
Jane de Araújo/Agência Senado - 24.5.16
No Senado, titulares são Waldemir Moka, Romero Jucá (foto), Dalírio Beber, João Capiberibe, Cidinho Santos e Alvaro Dias

Frente às diversas pendências que foram deixadas pelos parlamentares e às urgências que podem aparecer até o reinício do período legislativo, uma comissão representativa, formada por deputados e senadores, funciona a partir desta terça-feira (18) durante o recesso parlamentar, que vai até o dia 31 de julho.

Leia também: Conselho de Ética vai analisar denúncia contra senadoras que congelaram o Senado

Os integrantes da comissão representativa que vai atuar durante o recesso foram escolhidos separadamente em cada Casa, de acordo com a proporcionalidade partidária. 

No Senado, os seis titulares são os senadores Waldemir Moka (PMDB-MS), Romero Jucá (PMDB-RR), Dalírio Beber (PSDB-SC), João Capiberibe (PSB-AP), Cidinho Santos (PR-MT) e Alvaro Dias (Podemos-PR). Os suplentes são Elmano Ferrer (PMDB-PI), Edison Lobão (PMDB-MA), Cristovam Buarque (PPS-DF) e Romário (Podemos-RJ).

Na Câmara, os 17 deputados titulares são Alex Canziani (PTB-PR), Antonio Bulhões (PRB-SP), Carlos Henrique Gaguim (Pode-TO), Celso Jacob (PMDB-RJ), Hildo Rocha (PMDB-MA), Roberto Balestra (PP-GO), Rodrigo Maia (DEM-RJ), Carlos Zarattini (PT-SP), José Guimarães (PT-CE), José Rocha (PR-BA), Ronaldo Fonseca (PROS-DF), Victor Mendes (PSD-MA), Antonio Carlos Mendes Thame (PV-SP), Izalci Lucas (PSD-DF), Tereza Cristina (PSB-MS), Weverton Rocha (PDT-MA) e João Derly (Rede-RS).

Denúncia contra Michel Temer

No final de semana, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), chegou a afirmar que era possível que o Congresso Nacional suspendesse a interrupção das atividades . O que motivaria isso seria a análise sobre a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo , Maia afirmou que essa suspensão deveria ser ser "meio óbvia", mas que essa decisão não depende dele como presidente da Câmara e sim do plenário. 

No entanto, nesta segunda-feira (17), a Câmara anunciou que a leitura do parecer pela não admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer no plenário foi adiada para agosto. A sessão plenária na qual seria feita a leitura estava convocada para esta segunda, às 14h, mas foi cancelada por falta de quórum, e nesta terça (18) começa o recesso parlamentar.

Leia também: Líder do PMDB afirma que recesso não atrasará votação de denúncia contra Temer

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.