Gilmar Mendes: "Antes batiam à nossa porta e a gente sabia que era o leiteiro"

Por Estadão Conteúdo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro do STF ironizou a ação da Polícia Federal contra o ex-presidente Lula, que prestou depoimento nesta sexta-feira (4)

Estadão Conteúdo

Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes avaliou o momento como
STF
Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes avaliou o momento como "muito delicado"

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, comenteu ironicamente nesta sexta-feira (4) sobre a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Antes batiam à nossa porta e a gente sabia que era o leiteiro, não a polícia. Mas hoje a situação está tão desgastada que a polícia tem batido em muitas portas, mas com ordem judicial, claro", declarou durante palestra em Fortaleza.

Sem querer se aprofundar mais no assunto, Gilmar Mendes avaliou o momento como "muito delicado" e que agrava a crise política. "Não tenho elementos para avaliar a decisão do juiz Sérgio Moro, mas é possível que certamente tenha tomado todas as cautelas. É uma decisão com grande repercussão no plano social, econômico e político", analisou.

O ministro do Supremo falou sobre o tema "Perspectivas atuais da Justiça Eleitoral" para estudantes de Direito, na Universidade de Fortaleza (Unifor).

A 24ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada com base em investigações sobre a compra e reforma de um sítio em Atibaia frequentado por Lula, o fato de sua mudança ter sido transportada para o local e a relação desses episódios com empreiteiras investigadas na Lava Jato, além da relação dele com um tríplex no Guarujá reformado pela OAS.

De acordo com a Procuradoria da República no Estado do Paraná, há evidências de que o ex-presidente recebeu valores oriundos do esquema Petrobras por meio da destinação e reforma de um apartamento triplex e de um sítio em Atibaia, da entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e da armazenagem de bens por transportadora. Também são apurados pagamentos a Lula, feitos por empresas investigadas na Lava Jato, a título de supostas doações e palestras.

São investigados crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros praticados por diversas pessoas no contexto do esquema criminoso revelado pela Lava Jato que envolve pagamento de propina por grandes empreiteiras em troca de obras na Petrobras a partidos políticos.

Veja na galeria abaixo fotos dos protestos desta sexta-feira:

Houve briga de manifestantes a favor e contra o ex-presidente em frente à casa de Lula, em São Bernardo do Campo, e a polícia precisou agir. Foto: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO - 4.3.16Em frente à casa de Lula, houve manifestação pró e contra o ex-presidente. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 04.03.2016Um grupo de pessoas a favor do ex-presidente decidiu ir até a residência de Lula para prestar apoio. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Policiais precisaram agir para evitar confronto entre manifestantes pró e contra Lula. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Movimentação em frente à residência do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo (SP), na manhã desta sexta-feira (4). . Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Atrás de cordão de isolamento, manifestantes brigam com policiais em frente à casa de Lula, em São Bernardo do Campo . Foto: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO - 4.3.16No aeroporto de Congonhas também houve protesto e tumulto contra Lula. Manifestantes levaram o Pixuleco, boneco de Lula com roupa de presidiário e bola de chumbo no pé . Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 4.3.16Houve muita gritaria e confusão no aeroporto, local onde o ex-presidente está prestando depoimento. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16O ex-deputado do PT, Professor Luizinho, protesto em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Dezenas de pessoas, aos gritos, pediram a prisão do ex-presidente durante o protesto. Foto: ReproduçãoEm frente à Polícia Federal, no aeroporto de Congonhas, zona sul de SP, manifestantes fazem tumulto. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16O ex-deputado petista Devanir Ribeiro, amigo de Lula, é escoltado por policiais após confusão no aeroporto. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Do lado de fora do aeroporto, manifestantes também protestam contra o ex-presidente. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Protesto no aeroporto de Congonhas teve tumulto, gritaria e confusão. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 4.3.16


Leia tudo sobre: operação lava jatogilmar mendespolíticalula

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas