Em agenda de campanha com Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB disse ainda que o Brasil vive "um dia triste'

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comentou nesta sexta-feira (29) o resultado do PIB brasileiro, que encolheu 0,6% no 2º trimestre, segundo dados do Banco Central.  Para o tucano, o número negativo é uma indicação de que o governo do PT "acabou antes da hora"

"Hoje é um dia triste para o Brasil, que entrou em recessão técnica. Pelo segundo trimestre consecutivo, há uma queda no PIB, um PIB negativo. O governo do PT acabou antes da hora", criticou Aécio. 

Mais:  Economia brasileira encolhe 0,6% no 2º trimestre

Aécio fez as declarações ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), em São Paulo, durante agenda de campanha. Os dois visitaram a estação Vila Prudente da linha 15 ouro, que será aberta aos passageiros amanhã, em caráter experimental, das 10h às 15h.

O recúo do PIB se dá numa comparação aos primeiros meses deste ano. Esta é a segunda queda consecutiva do PIB, cenário chamado pelos economistas de recessão técnica, algo que não acontecia deste a crise global entre 2008 e 2009.

O candidato também fez crítica ao atual ministro da Fazendo, Guido Mantega. "É triste que, ao final do governo, o ministro da Fazenda entregue esse quadro extremamente perverso para com os brasileiros, com crescimento baixo, de recessão a partir de hoje, de inflação saindo do controle. Não vejo nele autoridade para questionar quem quer que seja", disse o tucano, em resposta às criticas feitas por Mantega ao ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, que foi confirmado como ministro da Fazendo, caso Aécio vença as eleições de outubro.

"Tem um candidato  que era presidente do Banco Central e que não entregou a meta de inflação", disse Mantega, em alusão a Fraga

Avanço de Marina

O presidenciável também aproveitou para cutucar a candidata Marina Silva (PSB), que alcançou o segundo lugar nas pesquisas eleitorais e ultrapassou o tucano. 

"Tenho um projeto para o Brasil que busca substituir esse que está ai e fracassou. Não é um projeto improvisado, é um projeto feito com pessoas e ideias capazes de transformá-lo em realidade. A grande questão é se queremos uma mudança de improviso ou uma verdadeira, consciente, que pode levar o Brasil a um outro patamar de desenvolvimento", finalizou. 



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.