Representantes da fabricante da aeronave também participarão das apurações; trabalho é comandado pela Aeronáutica

Representantes do governo dos Estados Unidos e da fabricante norte-americana de aeronaves Cessna chegaram na tarde desta sexta-feira (15) a Santos, no litoral paulista, para atuar nas investigações sobre o acidente que matou o candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos

Participarão do trabalho o investigador Tim Monville, do National Transportation Safety Board (NTBS), agência do governo dos EUA dedicada à investigação de acidentes com meios de transporte, e assistentes técnicos da Federal Aviation Administration (FAA), que, no Brasil, equivale à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

Os nomes dos representantes da Cessna não foram informados.

O avião que transportava Campos e outras seis pessoas caiu em Santos por volta das 10h da última quarta-feira (13), após uma tentativa de pouso frustrada no aeroporto da cidade vizinha do Guarujá. Todos morreram.

Leia também: Caixa-preta não gravou diálogos do voo de Eduardo Campos

A apuração das causas do acidente está a cargo do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB). 

A legislação internacional sobre aviação civil prevê a possibilidade de que peritos do país de origem da fabricante de uma aeronave acompanhem as apurações de acidentes ocorridos no exterior. Em cumprimento a essas regras, o Cenipa notificou o NSTB norte-americano.

A Polícia Federal também abriu um inquérito para investigar as causas do acidente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.