Oposição entra com representação contra Dilma no Ministério Público

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

PSDB e DEM acusam presidente de improbidade administrativa por pronunciamento na TV em que anunciou o reajuste do Bolsa-Família e a correção da tabela do IR

Agência Brasil

O PSDB e o DEM entraram hoje (6) com uma representação na Procuradoria da República no Distrito Federal contra a presidente Dilma Rousseff. Os partidos acusam Dilma de improbidade administrativa pelo pronunciamento oficial, divulgado em rede nacional de rádio e TV, na semana passada, para marcar o Dia do Trabalho, celebrado no dia 1º de maio. Além de Dilma, as legendas também pedem investigação sobre o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Thomas Traumann.

Leia mais: PSDB recorre ao TSE contra pronunciamento de Dilma no Dia do Trabalho

Na TV: Dilma anuncia aumento de 10% do Bolsa Família e defende Petrobras

Na representação, os partidos alegam que a presidente usou o pronunciamento para promover sua candidatura às eleições de outubro. Com o mesmo argumento, PSDB e DEM entraram ontem (5) com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra Dilma, pedindo aplicação de multa contra a presidenta, por propaganda eleitoral antecipada.

No pronunciamento, feito na última quarta-feira (30 de abril), Dilma anunciou a correção da tabela do Imposto de Renda e o reajuste do benefício do Programa Bolsa Família.

Na sexta-feira (2), a presidente escreveu no Twitter que essas medidas reforçam o combate à extrema pobreza e “defendem a renda dos que vivem do seu trabalho”. Mais tarde, no Encontro Nacional do PT, Dilma rebateu as críticas sobre o reajuste do Bolsa Família. Segundo Dilma, é importante que “não fiquem as dúvidas levantadas pela oposição”. “Nós últimos três anos e quatro meses, nós implantamos três grandes melhorias [reajustes] do Bolsa Família que elevaram o benefício, em aumento real, descontada a inflação, em 44,3%”, disse.

A Agência Brasil entrou em contato com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, mas, até a publicação desta matéria, não obteve retorno.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas