Controlado por amigo de Dirceu, Hotel Saint Peter já pertenceu a Sérgio Naya

Por Wilson Lima , iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Local que dará emprego ao ex-ministro é conhecido por eventos de médio porte e tem diárias entre R$ 190 e R$ 329

O hotel em que o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu pediu para trabalhar, o Saint Peter, pertence a um amigo do petista e dono de várias emissoras de rádio de televisão. O empresário Paulo Abreu é proprietário da Mundial de Comunicação e é irmão do ex-deputado federal José de Abreu, presidente do PTN, um dos partidos que compõe a base do governo Dilma Rouseff (PT).

Dirceu, Paulo e José de Abreu se conhecem há pelo menos 15 anos, conforme algumas fontes ligadas ao ex-ministro. Abreu mantém o hotel em sociedade com uma empresa chamada Truston International, sediada no Panamá, cujo procurador é Rothschild de Abreu, filho de Paulo Abreu.

Veja mais: Dirceu terá salário de R$ 20 mil se for autorizado a trabalhar em hotel

Dirceu pede à Justiça para trabalhar como gerente de hotel em Brasília

ALAN SAMPAIO/iG BRASILIA
Fachada do Hotel Saint Peter, onde José Dirceu poderá receber um salário de R$ 20 mil


A notícia de que o ex-ministro da Casa Civil poderá trabalhar no Saint Peter espalhou-se rapidamente pelo hotel na tarde de ontem. A segurança no local foi reforçada, para conter o assédio da imprensa e de curiosos.

Mesmo assim, várias pessoas passaram ontem em frente ao hotel só para conhecer o local. Alguns taxistas, quando orientados por passageiros a serem deixados no hotel Saint Peter, já brincavam: “Vamos para o hotel em que o Dirceu vai trabalhar?”.

Dirceu já teve sua carteira assinada e, de acordo com o contrato, receberá um salário de R$ 20 mil para o cargo de gerente administrativo. O vencimento é dez vezes maior que o registrado para a gerente geral do hotel, cujo salário registrado em carteira é de R$ 1,8 mil.

Mensalão: Barbosa pede parecer da Procuradoria-Geral sobre prisão domiciliar de Genoino

Câmara sinaliza que pode aposentar Genoino por invalidez

Laudo de junta médica diz que Genoino não tem doença grave

Com padrão 4 estrelas, o Hotel Saint Peter estava na lista dos bens bloqueados do ex-deputado e construtor Sérgio Naya para pagar prejuízos causados aos compradores dos apartamentos nos edifícios Palace I e II, que desabaram no Rio de Janeiro, nos anos de 1990.

Em 2005, o imóvel foi comprado pelo grupo Fenícia por R$ 7,4 milhões. Na época, o local havia sido avaliado em R$ 46 milhões. No ano seguinte, o hotel foi completamente reformado e revitalizado, tendo passado para o controle de Paulo Abreu oficialmente em 12 de julho de 2007.

A unidade tem 427 apartamentos, dos quais 16 foram adaptados a portadores de deficiência física. O estabelecimento fica no Setor Hoteleiro Sul (SHS) de Brasília e pratica preços para quartos individuais que variam de R$ 190 nos finais de semana a R$ 326 durante a semana.

Durante a noite, a região onde o hotel está localizado, é frequentada por várias garotas de programa. A menos de 100 metros do Saint Peter existe inclusive um bar onde várias garotas oferecem programas para hóspedes da região.

O local também é conhecido por receber vários eventos. São 12 salas destinadas a palestras e conferências. Algumas com capacidade para 450 pessoas. O próprio governo federal já alugou o local para atividades. Na semana passada, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por exemplo, realizou o IV Encontro Anual da Rede Latino-Americana de Serviços de Extensão Rural, cerca de 100 pessoas participaram do evento.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas