Em bilhete, Dilma cobra ministras e se irrita com acordo do Código Florestal

Presidenta questionou Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, e Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, por não ter sido avisada de acordo para aprovação do texto

iG São Paulo | - Atualizada às


A presidenta Dilma Rousseff questionou nesta quinta-feira (30), através de um bilhete, as ministras da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, sobre os resultados da aprovação do Código Florestal na comissão mista do Congresso na noite da última quarta-feira.

A caligrafia de Dilma: O que a análise da assinatura diz sobre o estilo da presidenta

Infográfico:  Entenda o Código Florestal

Joédson Alves/DPA
Em bilhete, Dilma cobra as ministras Izabella Teixeira e Ideli Salvatti por acordo

Saiba mais: Comissão do Congresso cede e aprova texto do novo Código Florestal

Leia também:  Dilma desautoriza acordo do Código Florestal fechado no Congresso

Escrita durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, nesta quinta-feira (30), a mensagem perguntou se houve algum acordo entre o governo e a bancada ruralista para aprovação do texto. "Por que os jornais estão dizendo que houve um acordo ontem no Congresso sobre o Código Florestal? Eu não sei de nada?", escreveu Dilma no bilhete.

Entenda: Debate sobre Código Florestal está longe de ter fim no Congresso

Na parte de baixo, é possível ler a resposta de Izabella. "Não houve acordo com o governo? A posição do governo é a defesa da MP, com foco especial na 'escadinha'", disse, em referência à regra que define a recomposição de áreas de preservação de acordo com o tamnho das propriedades.

Durante a reunião, Dilma sinalizou aos parlamentares que o governo não aceitará todos os acordos feitos para votação da medida provisória do Código

"O governo considera importantes alguns itens dessa medida provisória, entre eles, o que nós chamamos de 'escadinha'. E também não vê motivos, não há motivos econômicos para que nós não mantenhamos as áreas de proteção ambiental ao longo do leito dos rios, sejam eles perenes ou não", disse.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG