Restaurantes na Califórnia contornam veto à venda de foie gras

Chefs tentam disponibilizar iguaria em pratos, sem necessariamente anunciá-la como ingrediente no cardápio

NYT |

NYT

Quase como se fosse apenas um extra, o último aperitivo listado no cardápio do Restaurante Thir13en é um brioche que, por US$ 21, parece caro demais mesmo que seja "caseiro" e venha acompanhado de purê de morango ruibarbo e lascas de bacon. Porém, seu acompanhamento inclui "foie gras e panna cotta."

Leia também:  Califórnia trava batalha sobre aumento no preço de cigarros

Esse restaurante, não muito longe do Capitólio do Estado em Sacramento, Califórnia, é um dos poucos na Califórnia que ainda oferecem foie gras desde que a proibição de sua venda entrou em vigor no dia 1º de julho.

NYT
Adam Pechal, dono e chef do restaurante Thir13en, em Sacramento, prepara prato que leva foie gras

Embora alguns restaurantes estejam encontrando maneiras inteligentes para servir o pato engordado ou fígado de ganso - a lei proíbe sua venda, mas não diz nada sobre disponibilizar a especiaria como um extra -, a maioria dos cerca de 400 estabelecimentos que serviam o prato antes da proibição o tiraram de seus cardápios.

Fornecedores de foie gras para a Califórnia, o maior mercado para o produto nos Estados Unidos, interromperam os embarques para o Estado. Assim, os defensores de foie gras como Adam Pechal, chef e proprietário do restaurante Thir13en, estão considerando novas maneiras de repor seus suprimentos.

"Eu ainda estou aproveitando o meu tesouro", disse Pechal, explicando que ele e outros donos de restaurantes em Sacramento "estocaram uma grande quantia de foie gras" antes da proibição. "O foie congela fantasticamente. Essa é a beleza dele. O fígado de foie gras é um produto lindo. O pior cenário para mim será ter de ir até Tahoe e passar a semana lá para encontrar alguém em Nevada (que tenha o produto). É simples assim. Eu posso dirigir uma hora e meia e comprá-lo em outro Estado."

Legislação

Em 2004, legisladores da Califórnia aprovaram uma lei que proíbe a venda de qualquer produto derivado da alimentação forçada de aves para aumentar seus fígados - um processo conhecido como sonda, que grupos de direitos dos animais criticam como um ato cruel - mas concedeu período de carência de sete anos e meio. A proibição é a única do tipo nos Estados Unidos.

O único produtor de foie gras da Califórnia, a Sonoma Artisan Foie Gras, fechou sua loja no início da proibição. Os outros fornecedores do Estado - fazendas de foie gras em Nova York e Québec - têm visto suas vendas na região "evaporarem" desde 1º de julho, de acordo com uma ação judicial movida contra o Estado no mês passado pelas fazendas e pelo grupo Hot's Restaurant Group em Los Angeles.

Os defensores argumentaram que a proibição era inconstitucional, pois sua linguagem era imprecisa e interferia com a autoridade do governo federal de negociar com países estrangeiros. No mês passado, um juiz distrital dos Estados Unidos em Los Angeles negou o pedido de revisão da lei, mas deverá abordar o assunto novamente em uma audiência no mês de setembro.

Embora alguns restaurantes continuem servindo foie gras abertamente, nenhum estabelecimento parece ter sofrido sanções, que podem chegar a US$ 1 mil por dia de violação. Oficiais disseram que a lei é tão vaga que é difícil de aplicar.

"Embora os restaurantes falem em disponibilizar o produto gratuitamente em seus pratos, é óbvio que não é a intenção da lei permitir que os restaurantes o sirvam, mas isso é contornável", disse Rebecca Katz, advogada e diretora da Assistência e Controle para Animais de São Francisco. "Por isso, fica difícil para que nós possamos distinguir quando podemos ou não agir com as sanções."

*Por Norimitsu Onishi

    Leia tudo sobre: califórniaeuafoie graslegislaçãoproibição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG