Tamanho do texto

Trabalho em escultura do século 15 foi realizado por uma pessoa não profissional e virou motivo de brincadeiras até no jornal The New York Times

A restauração da escultura não chegou no resultado esperado e gerou a revolta de especialistas em arte
Reprodução/Menorca.info
A restauração da escultura não chegou no resultado esperado e gerou a revolta de especialistas em arte

Uma escultura religiosa do século 15, com as imagens de Virgem Maria, Jesus e Santa Ana, recentemente passou por um processo de restauração. A obra, que fica em uma capela de Rañadorio, em Astúrias, na Espanha, ganhou novas cores e detalhes, mas, diferente do esperado, o resultado não foi muito bem recebido por especialistas e pelo público.

Leia também: Restauração deixa imagem de menino Jesus com a aparência de Maggie Simpson

Agora, a restauração deixou Santa Ana com um batom rosa, delineador preto nos olhos e um vestido vibrante. A Virgem Maria ganhou cabelos turquesa e, de acordo com o New York Times , Jesus “se parece com um boneco do Playmobil”.

Tudo aconteceu porque a estátua de madeira não foi restaurada pelas mãos de um profissional, mas sim por María Luisa Menéndez, uma comerciante local que é membro da paróquia em questão.

“Eu não sou uma pintora profissional, mas sempre gostei de fazer isso, e aquelas imagens realmente precisavam de uma pintura”, explicou a mulher ao jornal El Comercio .

O padre lhe deu permissão para fazer o trabalho, “então eu pintei da melhor forma que consegui, com as cores que pareciam certas, e os vizinhos gostaram”, pontuou.

Leia também: 'Fake arte'? Museu francês descobre que mais da metade de suas pinturas é falsa

A reação da maioria das pessoas que viu a escultura , contudo, foi bem diferente. Por exemplo, Gerado Alonso, ministro regional da cultura e educação em Astúrias, disse que “o trabalho mais se parece com uma vingança do que com uma reforma”.

E o caso também ganhou as redes sociais. No Twitter, a associação de conservação de arte espanhola, conhecida pela sigla Acre, publicou: “De novo gritamos #SOSPatrimônio. Ninguém se importa com esse contínuo espólio em nosso país? Que tipo de sociedade permite passiva que destruam diante de seus olhos o legado de seus antepassados?”.

Ainda não está claro se a tinta utilizada por Menéndez pode ser removida, o que poderia preservar a imagem. As autoridades regionais declararam que querem abrir uma ação legal, com leis municipais que protejam o patrimônio da Espanha e requeiram uma autorização formal para qualquer alteração, mesmo nos casos de boas intenções, como este.

Mais uma restauração singular na Espanha

A restauração de 2012 correu todo o mundo, e parece que em 2018, os espanhóis repetiram a mesma situação
Reprodução
A restauração de 2012 correu todo o mundo, e parece que em 2018, os espanhóis repetiram a mesma situação

Essa não foi a primeira vez que o país europeu chamou a atenção por suas restaurações. Em 2012, a famosa reforma do afresco de Jesus “ ecce homo ”, em uma igreja na cidade de Borja, também enfureceu muitos especialistas.

A pintura foi feita por Cecilia Giménez, uma senhora de mais de 80 anos que decidiu restaurar a obra porque “ela estava triste com a representação de Jesus descascando por causa da umidade das paredes da igreja”.

Leia também: Conserto de goteira levou à descoberta de quadro que pode valer R$ 470 milhões

No final, contudo, a restauração se tornou um grande atrativo da cidade, que começou a desenvolver seu turismo através do afresco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.