Ari Kala, de 24 anos, pediu demissão do emprego como secretária para se dedicar exclusivamente ao desenvolvimento de suas habilidades psíquicas

A australiana explicou que sentiu o cheiro da morte pela primeira vez quando tinha 12 anos, na casa de seu tio doente
Reprodução/Facebook Ari Kala
A australiana explicou que sentiu o cheiro da morte pela primeira vez quando tinha 12 anos, na casa de seu tio doente


Algumas pessoas têm talentos raros e muitas vezes estranhos, como, por exemplo, aquelas que giraram o pescoço em mais de 180º ou as que são sinestésicas, ou seja, quem consegue relacionar dois sentidos e consegue “ver” um sabor. Há tantas coisas impressionantes que o ser humano pode fazer, certo? Mas você já ouviu falar em alguém que diz ser capaz de sentir o cheiro da morte? Se a resposta foi "nunca", agora não é mais, pois é isso o que a australiana Ari Kala, de 24 anos, alega conseguir fazer.

Leia também: Homem fatura meio milhão de reais após 'resgatar' bilhete premiado da lixeira

Segundo informações do portal britânico Metro , Kala diz que consegue sentir o cheiro da morte iminente nas pessoas, e tudo teria começado quando ela tinha apenas 12 anos de idade. “Um ano antes de começar o Ensino Médio eu visitei meu tio, para ficar com ele antes de sua morte”, contou. “Uma noite antes de ele morrer eu senti esse odor estranho e podre pela casa”.

Moradora de New South Wales, na Austrália, ela é “coach psíquica” e explicou que imaginou que o cheiro era do próprio tio, mas nenhuma outra pessoa conseguia senti-lo na residência. “Desde então, eu passei pela mesma coisa com outras pessoas com doenças terminais ou muito idosas, isso aconteceu vezes demais para eu conseguir contar”.

Leia também: Revolução dos bichos! Cem vacas fogem de fazenda, invadem cidade e geram caos

Kala ignorou seu ‘talento’ por muitos anos, mas disse que agora decidiu que é a hora de aceitá-lo para desenvolver seus poderes psíquicos . Ela pediu demissão de seu emprego como secretária e, mesmo que sua escolha tenha afastado familiares e amigos, a australiana sente que fez a decisão correta e não se arrepende disso.

“Coach psíquica” como novo trabalho

Seu objetivo, porém, não é avisar para as pessoas que elas estão prestes a morrer. “Às vezes isso parece um fardo. Um tempo atrás eu queria falar alguma coisa, mas percebi que não é a minha função”, explicou. Kala quer dar conselhos para mulheres que também desejam desenvolver suas habilidades psíquicas, algo que, segundo a coach , todas as pessoas possuem.

Leia também: Casal vence processo na Justiça para obrigar filho de 30 anos a sair de casa

“Todos têm acesso às suas habilidades psíquicas, mas normalmente elas são suprimidas. Crianças são ensinadas a crescer desde muito novas, eu, por exemplo, conseguia ler as emoções das pessoas e sempre sonhava com coisas que se realizavam. Mas ninguém gosta disso. Assim, conforme eu cresci, passei a sentir medo de ser julgada e ignorei tudo isso”, detalhou ao Metro sobre o início de suas habilidades para prever a morte de alguém.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.