Tamanho do texto

O professor de música Dale Aubrey Evans, do País de Gales, negou ter agido de forma inapropriada e disse ser uma vítima de "discriminação e homofobia"

O professor de música foi abordado pelo ex-aluno, um adolescente, que dizia ser gay para conversar com o docente
Reprodução/Metro.co.uk
O professor de música foi abordado pelo ex-aluno, um adolescente, que dizia ser gay para conversar com o docente


O professor de música Dale Aubrey Evans está sendo investigado por enviar uma foto íntima para um ex-aluno, de 17 anos, durante uma conversa pela internet. De acordo com o portal Metro , o homem foi demitido da escola onde trabalhava, no País de Gales.

Leia também: "Ela mereceu", diz mãe após espancar filha de três anos por causa de um tablet

Tudo começou quando o adolescente, que foi aluno de Evans em outro colégio, entrou em contato com o professor por meio do Facebook. Identificado apenas como “jovem A”, teria mentido para Evans, dizendo ser gay e enviando uma foto pornográfica manipulada, com o seu rosto nela, enquanto conversavam.

Como resposta, o professor teria encaminhado uma foto sua, em que aparece completamente nu, em uma posição sensual, de costas para a câmera. A imagem foi compartilhada com outros dois adolescentes e marcou o último contato entre o homem adulto e os menores. "Depois de receber a imagem, os três envolvidos bloquearam o docente e eles não conversaram mais", afirmou Cadi Dewi, representante do caso.

A ação do docente foi considerada como “conduta profissional inaceitável” por motivos sexuais, sendo levada à polícia, que não encontrou evidências de comportamento criminoso. Evans negou que suas atitudes foram inaceitáveis e disse ter sido vítima de tratamento “discriminatório e homofóbico”, já que um dos adolescentes envolvidos mentiu sobre ser homossexual.

O diretor da Cardiff High School, Stephen Jones, declarou que “as ações de Evans deixaram o colégio em descrédito e são incompatíveis com o caráter da instituição", ainda confirmando que houve "ruptura irreparável entre o docente e a escola”.

Leia também: Ladrão quer processar mercado por ter machucado os testículos durante assalto

Professora presa por sexo

Em um caso que também envolveu uma conduta sexual entre professores e alunos, a professora Andrea Nicole Baber, de 29 anos, foi presa em dezembro sob a alegação de ter feito sexo com um de seus alunos . Segundo informações do jornal  The News-Review , a mulher lecionava em uma escola cristã de Springfield, no estado americano do Oregon.

Baber é acusada de estupro por manter relações sexuais com um de seus alunos de 15 anos de idade. A polícia acredita que o "envolvimento" dos dois começou em 2016 e se manteve até o final deste ano, quando o marido dela flagrou os dois fazendo sexo no dia 5 de dezembro.

A primeira denúncia do caso aconteceu após o pai do aluno em questão receber um e-mail anônimo, no qual era questionado se sabia que seu filho adolescente estava em um relacionamento com Baber. Em anexo, foram enviadas diversas fotos dos dois, juntos, em uma cama.

Leia também: Suspeito se desespera após prender a cabeça em cela de delegacia chinesa; veja

Ex-professora no colégio cristão Logos Christian Academy, a mulher foi presa sob as alegações de estupro de terceiro grau, sodomia de terceiro grau, contribuição para delinquência sexual de um menor de idade, corrupção sexual online de um menor e também por oferecer maconha para uma pessoa com menos de 18 anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.