Tamanho do texto

Para guardar os celulares, Marin usou uma espécie de collant de compressão que cobria o corpo inteiro; a policia fazia uma operação secreta e o prendeu

Alin Marin foi condenado a três anos de prisão após roubar 53 celulares
Reprodução/Daily Mail
Alin Marin foi condenado a três anos de prisão após roubar 53 celulares

O romeno Alin Marin, de 22 anos, foi preso na noite da segunda-feira (18) durante um show do Royal Blood na Arena Birmingham, na Inglaterra, após se transformar em uma espécie de “caixa de depósitos humana”, roubando 53 aparelhos celulares dos fãs da banda. 

Leia também: 'Enfermeira stalker' finge ser médico por 4 anos para seduzir mulheres pela web

Para pegar os celulares, ele utilizava da "velha conhecida" tática de se esbarrar com as pessoas. O grande segredo de Marin era, na verdade, o modo como escondeu os celulares : ele usou um collant que cobria o corpo inteiro e, por ser apertado, deixava os aparelhos "seguros", bem próximos do seu corpo. Porém, o que o jovem não esperava era encontrar a polícia no meio da multidão. 

Isso porque os policiais estavam em uma operação secreta, alertas de que ladrões estavam de olho nos fãs da Royal Blood desde o início deste ano. O homem, que não possui nenhum endereço fixo, foi preso em Broad Street, pouco depois de sair do show. Os aparelhos foram recuperados em um estacionamento nas proximidades da arena.

Sentença e precauções

Marin foi acusado de roubo, sentenciado a três anos de prisão pela corte de Birmingham Crown. Para a sargento da West Midlands Police e do centro da cidade de Birmingham, Julia Slater, Alin é “muito organizado”.

Leia também: Professora de escola cristã é pega pelo marido durante sexo com aluno de 15 anos

Os aparelhos foram apreendidos em um estacionamento próximo a Arena
Divulgação/DailyMail
Os aparelhos foram apreendidos em um estacionamento próximo a Arena

"Muitos dos telefones foram tirados dos bolsos dianteiros dos jeans, que as pessoas acreditam ser um lugar mais seguro para levar objetos de valor. Devido aos empurrões, eles simplesmente não perceberam que tinham sido roubados. Ele deslizou os telefones dentro do maiô e efetivamente se transformou em uma 'caixa de depósito para os telefones', carregando dezenas deles escondidos ao redor de seu corpo", afirmou.

Staler ainda ressaltou a importância em se manter atento em lugares superlotados, como a Arena Birmingham estava naquela noite.

"Infelizmente é uma realidade vivida por grandes multidões em concertos. Criminosos podem fazer ‘grandes colheitas’ de produtos e itens importantes. Estamos trabalhando em medidas para barrar esses infratores, mas há como reduzir esses acontecimentos se os foliões tiverem um cuidado extra com seus pertences”, frisou.

Leia também: Na Rússia, vítimas de abuso doméstico são obrigadas a pagar fiança do agressor

A sargento recomendou que o público não exagere na bagagem, levando somente o essencial para esses tipos de evento, além de incentivar que registrem detalhadamente seus celulares e outros objetos de valor na ficha imobiliária da propriedade nacional.

*Com informações do Daily Mail

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.