Bilionário chinês pode ter morrido por comer gato envenenado

Família diz que empresário foi assassinado enquanto ativistas protestam contra venda de carne do animal

BBC Brasil |

selo

A morte de um bilionário está causando controvérsia na Província de Guangdong, na China. A família diz que o empresário morreu envenenado ao comer carne de gato. Grupos de proteção aos animais, por outro lado, estão furiosos com o uso do bichano como comida.

A acusação foi feita pelo irmão de Long Liyuan, segundo o jornal China Daily.

O presidente de uma empresa de reflorestamento passou mal após comer em um restaurante da cidade de Gaozhou, onde teria se servido de uma refeição à base de carne de gato. Dois amigos de Long que o acompanharam ao restaurante também passaram mal e um deles chegou a ser internado na UTI, mas agora passa bem. O resultado da autópsia deve sair em um mês, segundo a polícia.

O dono do restaurante chegou a ser preso por "vender comida sem condições sanitárias. O irmão de Long disse acreditar que ele foi envenenado. Segundo a família, o empresário tinha inimigos nos negócios que poderiam querer o bilionário morto.

De acordo com a reportagem do China Daily, o empresário teria investido pesadamente na empresa especializada em reflorestamento. Um amigo do empresário citado pela reportagem, cuja identidade não foi revelada, disse que Long estaria planejando denunciar irregularidades de alguns concorrentes.

Direitos dos animais

O jornal cita também a fúria de ativistas de defesa dos animais com a venda de carne de gato no restaurante onde Long fez sua última refeição.

O ativista Qiao Huasong disse em seu blog não ter se surpreendido que o empresário seja de Guangdong, dizendo que o povo local "come tudo que voa, exceto aviões, e tudo que tenha quatro pernas, menos mesas".

A carne de gato é tradicionalmente usada na culinária cantonesa, segundo o jornal, mencionando um famoso prato local, chamado de "dragão, tigre, fênix", cujos ingredientes principais são cobra, gato e frango.

Outro ativsta, Mo Teng, também expressou insatisfação com o episódio. "Sei que deveria mostrar meu respeito ao falecido, mas tenho de ressaltar o fato de que uma grande quantidade de gatos e cachorros são levados à Província de Guangdong para virar comida", disse.

    Leia tudo sobre: chinagatodireitos dos animais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG