Primeiro-ministro da ilha caribenha precisou ser resgatado depois que a sua própria casa perdeu o telhado e foi totalmente invadida pelas fortes chuvas

Os ventos do furacão Maria varreram os telhados das casas em Dominica, deixando um rastro de destruição
Reprodução/Twitter
Os ventos do furacão Maria varreram os telhados das casas em Dominica, deixando um rastro de destruição

Ainda se recuperando da passagem do furacão Irma, o Caribe sofre agora com o outro fenômeno natural. É o furacão Maria, que alcançou a categoria cinco ao atravessar a ilha Dominica, criando um cenário de 'devastação generalizada' , na madrugada desta terça-feira (19). De acordo com o primeiro-ministro, Roosevelt Skerrit, o país perdeu 'tudo que o dinheiro pode comprar'. 

Skerrit – que precisou ser resgatado depois que sua casa sofreu graves danos – admitiu, em sua conta no Facebook, que teme a confirmação de que pessoas tenham sido mortas e feridas, "como resultado dos prováveis deslizamentos de terra provocados pelas chuvas persistentes" do furacão Maria .

"Eu fui resgatado", disse Skerrit, antes de avisar que estava a "mercê do furacão. A casa está inundando". "Até agora, perdemos tudo o que o dinheiro pode comprar e substituir", disse ele, em sua mensagem.

Os "ventos varreram os telhados das casas de quase todas as pessoas com quem já conversei. O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros a sair voando", afirmou Skerrit.

Leia também: Devastadas pelo Irma, ilhas caribenhas se preparam para impacto do furacão Maria

Ele acrescentou que não se sente realmente preocupado com os danos físicos causados pelo furacão, mas que sua prioridade era "resgatar as pessoas e assegurar assistência médica aos feridos" por esse fenômeno que classificou de "alucinante".

"Nós precisaremos de ajuda, precisaremos de ajuda de todo tipo. É muito cedo para falar da situação dos portos marítimos, mas suspeito que eles não estarão operando nos próximos dias", afirmou.

"Por isso, solicito o apoio das nações e organizações amigas com serviços de helicópteros, já que pessoalmente estou ansioso para ver e determinar o que necessário", disse em outro momento da mensagem.

O premier determinou a retirada dos moradores de áreas próximas ao mar, que poderiam ser inundadas, e não descartou impor o toque de recolher na ilha "em caso de necessidade".

Ao longo do dia, os cidadãos de Dominica invadiram os supermercados, onde muitos itens de necessidades básicas estavam esgotados. Os aeroportos e portos estão fechados.

Mais devastação

Apesar de a imprensa local afirmar que o Maria foi o pior furacão que passou por Dominica, o premier lembrou que há 38 anos o ciclone David, também de categoria cinco, atingiu a ilha, com ventos de mais de 281 quilômetros por hora (km/h) e causou a morte de 2 mil pessoas.

Na semana passada, Dominica já sofreu os efeitos do furacão Irma , que atingiu grande parte do Caribe e o estado da Flórida, nos Estados Unidos.

Leia também: Tufão causa três mortes no Vietnã e deixa 100 mil casas danificadas

Depois de passar por Dominica, o furacão Maria se dirige para Saint Croix (Ilhas Virgens) e Porto Rico, com ventos de até 250km/h, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.