Mexicano lamentou a decisão do presidente dos Estados Unidos de construir um muro da fronteira e insistiu mais uma vez que o país não pagará por isso

Presidente do México, Enrique Peña Nieto manifestou interesse na cooperação com os Estados Unidos
Facebbok / Enrique Peña Nieto
Presidente do México, Enrique Peña Nieto manifestou interesse na cooperação com os Estados Unidos

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, anunciou nesta quinta-feira (26) que cancelou sua viagem a Washington para se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Governo do México ressalta que não pagará por muro e exige "respeito" dos EUA

Na quarta-feira (25), Trump assinou ordem executiva determinando a construção de um muro na fronteira entre os EUA e o México . "Esta manhã informamos à Casa Branca que eu não vou assistir à reunião marcada para a próxima terça-feira [31 de janeiro] com o presidente dos Estados Unidos", escreveu Peña Nieto nas redes sociais.

O presidente mexicano, no entanto, manifestou interesse na cooperação com os Estados Unidos: "o México reitera sua vontade de trabalhar com os Estados Unidos para alcançar acordos em favor de ambas nações".

A decisão ocorre pouco mais de um dia depois que Peña Nieto criticou, em uma entrevista, a ordem executiva de Donald Trump autorizando a construção do muro. O mexicano lamentou a decisão de Trump e insistiu, mais uma vez, que o México não pagará por isso. "Eu disse uma e outra vez, o México não vai pagar por nenhum muro", afirmou.

UE vai trabalhar para fechar Rota do Mediterrâneo a partir de fevereiro

Antes do anúncio de Peña Nieto, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou cancelar a reunião, em duas mensagens no Twitter. Na primeira, ele escreveu: "Se o México não está disposto a pagar pelo muro tão necessário, então seria melhor cancelar a próxima reunião".

Na segunda mensagem, Trump criticou o Tratado de Livre Comércio do Atlântico Norte (Nafta, na sigla em ingês), do qual o México e o Canadá fazem parte, como um "acordo comercial unilateral", ou seja, para ele, os Estados Unidos não têm benefícios com esse acordo.

Promessa de campanha

O magnata Donald Trump tomou posse na sexta-feira da semana passada (20), após vencer as eleições de novembro contra a candidata democrata, Hillary Clinton. Durante toda sua campanha eleitoral, o republicano prometeu construir um muro na fronteira com o México e endurecer as leis imigratórias nos Estados Unidos. Segundo analistas, o muro tem custo estimado em US$ 12 bilhões.

Trump determina saída dos EUA de acordo comercial com países do Pacífico

Trump já ameaçou confiscar remessas de mexicanos que vivem nos Estados Unidos caso o México se nege a pagar pela obra. O muro teria 3.200 km de extensão, sendo que 1.046 km seria coberto por cercas. De acordo com o planejamento do atual presidente dos Estados Unidos, a barreira entre as duas nações passaria por Matamoros, Ciudad Juarez, El Paso e Tijuana.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.