Ataque do Taleban deixa nove mortos em hotel com estrangeiros em Cabul

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ação contra o Serena Hote durou cerca de 3 horas e foi o mais recente de uma série de ataques antes da eleição presidencial

Reuters

Militantes armados da milícia islâmica do Taleban deixaram nove mortos, incluindo quatro estrangeiros, em um ataque a um hotel de luxo usado por funcionários da ONU e políticos afegãos importantes em Cabul, na quinta-feira à noite, antes de serem mortos a tiros pelas forças de segurança, afirmaram a polícia e testemunhas na sexta-feira.

Quinta: Militantes atacam hotel na capital do Afeganistão

AP
Soldado do Exército afegão inspeciona coletes à prova de bala encontrados após ataque a hotel no leste do Afeganistão (20/3)

Fevereiro: Obama ordena plano do Pentágono para retirada completa do Afeganistão

O ataque ao Serena Hotel, que conta com forte vigilância, durou cerca de três horas e foi o mais recente de uma série de ataques às vésperas da eleição presidencial em 5 de abril, que deverá ser a primeira na história do Afeganistão, onde um governo eleito entregará o comando a outro governo eleito.

Quatro combatentes do Taleban conseguiram passar pela segurança sorrateiramente na quinta-feira à noite e se esconderam dentro do prédio por três horas antes de abrir fogo contra os clientes dentro do restaurante do hotel, segundo o porta-voz do Ministério do Interior Sediq Sediqqi.

Saiba mais: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Os militantes, então, lutaram contra as forças especiais afegãs e aterrorizaram hóspedes que fugiram ou se esconderam no hotel. Todos os rebeldes do Taleban foram mortos a tiros.

"Eu não ouvi uma explosão ou qualquer outra coisa. Somente armas de fogo e possivelmente granadas", disse um funcionário da ONU em uma mensagem de texto.

A agência de notícias francesa Agence France Presse (AFP) afirmou que seu repórter Sardar Ahmad, sua esposa e dois filhos foram mortos no ataque. Outros estrangeiros mortos são do Canadá, Índia, Nova Zelândia e Paquistão, informou o Ministério da Justiça.

Leia tudo sobre: afeganistãotaleban

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas