Estado de saúde de Mandela permanece 'crítico', diz governo da África do Sul

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo presidente Jacob Zuma, país deve aceitar que ícone da luta antiapartheid 'está velho'. Ele afirmou que médicos fazem tudo que é possível para garantir bem-estar

O estado de saúde de Nelson Mandela, internado em um hospital em Pretória, continua "crítico" na manhã desta segunda-feira (24), disse o presidente da África do Sul. Jacob Zuma acrescentou que quando foi visitar Mandela na noite anterior, o ícone da luta antiapartheid estava "dormindo".

O presidente sul-africano falou para ao menos 60 jornalistas estrangeiros e do país que os médicos estão fazendo tudo o que é possível para garantir o bem-estar e o conforto de Mandela em seu 17º dia no hospital. O presidente repetiu uma parte do conteúdo do comunicado divulgado no domingo e se recusou a dar quaisquer detalhes do estado de saúde de Mandela, dizendo: "Eu não sou médico."

No domingo: Estado de saúde de Mandela é 'crítico'

Leia mais: Mandela aparece frágil em primeira imagem na TV em nove meses

AP
Pedestre passa por dois retratos gigantes de Nelson Mandela do lado de fora da Prefeitura da Cidade do Cabo, África do Sul

Abril de 2013: Mandela recebe alta de hospital após tratar pneumonia

"Madiba está (em estado) crítico no hospital, e esse é o pai da democracia. Esse é o homem que lutou e sacrificou sua vida ppermanecendo na prisão. Ele é um daqueles que contribuiu para a democracia", disse Zuma, usando o nome de clã de Mandela. "Todos nós no país deveriamos aceitar o fato de que Madiba agora está velho. À medida que ele envelhece sua saúde...vai lhe causar problemas e eu acho que precisamos, como país, rezar por ele."

Zuma que anteriormente havia dado uma visão otimista sobre a saúde de Mandela descreveu rapidamente sua visita ao hospital na capital da África do Sul. "Era tarde e ele já estava dormindo", disse. "Então, nós conversamos um pouco com os médicos e com sua mulher, Graça Machel, e saímos."

NYT: Disputa por Mandela transforma seu legado em troféu na África do Sul

Questionado sobre por que nenhum dos médicos de Mandela havia dado notícias, o porta-voz do presidente Mac Maharaj disse que uma reunião foi feita sob aval da família Mandela sobre informações que seriam fornecidas através de uma "única fonte de uma forma oficial". "Combinamos que precisamos respeitar a privacidade da família e a confidencialidade entre médico e paciente."

"Podem ter certeza que o que dizemos está baseado em um acordo com os médicos", disse Maharaj. Os médicos aprovaram os textos dos anúncios sobre a saúde de Mandela.

Mandela, que se tornou o primeiro presidente negro da Árica do Sul após o fim do apartheid em 1994, foi hospitalizado em 8 de junho para, segundo o governo, tratar uma recorrente infecção no pulmão. Essa é sua quarta internação desde dezembro.

Vídeo: Netas de Mandela são estrelas de reality show

Homenagem: Veja o especial da TV iG sobre Nelson Mandela

Mandela ficou preso por 27 anos sob o regime racista e foi libertado há 23 anos, em 1990. Ele, então, teve um papel de liderança na transição do país dividido racialmente na era apartheid para uma democracia.

Como resultado de seu sacrifício pela paz, ele é visto pelo mundo todo como um símbolo da reconciliação.

Com AP

Leia tudo sobre: áfrica do sulmandelanelson mandela

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas