Elías Jaua disse que esteve com o presidente venezuelano que estaria 'em pleno processo de recuperação'. Encontro o ocorreu em Havana, Cuba, onde Chávez faz tratamento

BBC

BBC

O presidente da Venezuela Hugo Chávez enfrentará a fase mais "complexa e profunda" de sua batalha contra o câncer, informou nesta quinta-feira (24) o ministro de Relações Exteriores, Elias Jaua. O chanceler disse que esteve com Chávez e conversou com ele. Afirmou ainda que o presidente se recupera, está consciente e tomando decisões em relação às políticas interna e externa do país.

Chanceler: 'Rindo', Chávez dá ordens de Cuba, diz ministro venezuelano

Mulher lê cópia da edição de 24 de janeiro do El País com foto falsa do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estampada na capa
Reuters
Mulher lê cópia da edição de 24 de janeiro do El País com foto falsa do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estampada na capa


"O presidente está em pleno processo de recuperação (do pós-operatório) , no entanto, vem a batalha mais complexa e profunda da enfermidade", afirmou Jaua, numa intervenção via telefônica transmitida pelo canal estatal. O chanceler – que já foi vice-presidente e é um dos homens de confiança de Chávez - esteve em Havana nesta semana, onde a cúpula do governo voltou a se reunir com o mandatário.

Leia também: Jornal El País retira 'foto falsa' de Chávez e pede desculpas por erro

Ameaça: Governo venezuelano denuncia plano para matar vice e chefe da Assembleia

Jaua não quis dar mais detalhes sobre a saúde presidencial, nem tampouco anunciou as decisões que teriam sido tomadas na suposta reunião. "Somos disciplinados", disse, ao indicar que caberá ao vice-presidente Nicolás Maduro - que permanece em Havana - dar mais detalhes sobre a saúde do líder venezuelano.

Membros do gabinete se negam a fornecer uma previsão de quando Chávez poderia regressar ao país. Seus ministros se limitam a afirmar que "esperam" que Chávez regresse "em poucas semanas". Enquanto isso, prevalece a incógnita se o mandatário poderá ou não continuar a frente da Presidência ou se novas eleições antecipadas terão de ser convocadas.

A oposição se diz insatisfeita com as informações relacionadas com o estado de saúde do presidente e tem exigido que o governo apresente uma "prova de vida". "Se ele pode assinar decretos, o convido a que apareça e fale à Venezuela", afirmou o ex-candidato presidencial e governador Henrique Capriles.

Chávez convalesce há seis semanas em Cuba, após sofrer severas complicações em sua quarta cirurgia para combater um câncer na região pélvica. Desde então, ele não é visto ou ouvido em público.

Processo contra jornal espanhol

O Executivo anunciou também nesta quinta-feira que moverá uma ação judicial contra o diário espanhol El País em resposta à falsa fotografia de Chávez, qualificada pelo governo como "grotesca" publicada na capa do jornal na quinta-feira.

O governo venezuelano disse que "fará uso de todas as ferramentas legais a seu alcance" para "ressarcir o dano causado" à Chávez e à sociedade venezuelana.

"A publicação dessa fotografia grotesca não é mais do que a confirmação da campanha sistemática que esse jornal e outros mais mantêm, aproveitando-se de maneira atroz da situação de saúde pela qual passa o comandante Chávez", afirmou Ernesto Villegas, porta-voz e ministro da Comunicação em entrevista.

A polêmica e falsa fotografia foi produzida a partir de um fragmento de um vídeo que mostra o close da cabeça de um homem sem cabelos e com um tubo saindo de sua boca.

O El País disse ter obtido a foto a partir de uma agência de notícias espanhola e acrescentou que não tinha como checar a autenticidade da imagem. Mesmo assim, o jornal optou pela publicação. "Ou fizeram por estupidez ou voluntariamente. Não acredito que sejam estúpidos', afirmou Villegas.

Ao rejeitar a publicação, Villegas questionou se o critério editorial do jornal seria o mesmo se algum líder europeu estivesse hospitalizado, nas mesmas condições de Chávez. "Será que esse jornal publicaria uma foto assim de qualquer líder europeu? Estão programando a sociedade para um desenlace fatal", afirmou Villegas.

Mais cedo, o jornal pediu desculpas pela publicação da foto. A cobertura dada pela imprensa espanhola sobre a saúde de Chávez, em especial pelo jornal , já vinha sendo alvo de críticas do governo, que afirma, são responsáveis pela difusão de rumores infundados sobre a gravidade da saúde do líder venezuelano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.