Militante islâmico reivindica autoria de ataque na Argélia para Al Qaeda

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Em vídeo divulgado por site de notícias da Mauritânia, Mokhtar Belmokhta exigiu que França suspenda os ataques no Mali

Reuters

Reuters

AP
Reprodução de vídeo fornecida por grupo de inteligência SITE supostamente mostra o líder militante Moktar Belmoktar, que liderou sequestro de reféns na Argélia

O veterano militante islâmico Mokhtar Belmokhtar reivindicou a autoria da gigantesca tomada de reféns na Argélia em nome da Al Qaeda e exigiu que a França suspenda seus ataques no Mali, disse o site de notícias da Mauritânia Sahara Media neste domingo citando um vídeo.

"Nós na Al Qaeda anunciamos essa abençoada operação", disse Belmokhtar no vídeo, de acordo com o Sahara Media. "Estamos prontos para negociar com o Ocidente e com o governo argelino, desde que eles parem os bombardeios contra os muçulmanos no Mali."

Quarta: Grupo ligado à Al-Qaeda faz estrangeiros reféns em usina de gás na Argélia

Quinta: Argélia lança operação para resgatar reféns de militantes em campo de gás

Sexta: Crise de reféns deixa dezenas de estrangeiros desaparecidos na Argélia

Sábado: Argélia confirma morte de 23 reféns e 32 terroristas em refinaria de gás

O site não divulgou o vídeo e não era possível checar a informação imediatamente.

O Sahara Media recebeu no passado comunicados de combatentes ligados à Al Qaeda que operam na região. Antes do início da crise no Mali, a Mauritânia era apontado como o país com maior risco de presença desses militantes e acredita-se que o braço da Al Qaeda no norte da África, o AQIM, tem acampamentos no vasto deserto do país.

A Argélia informou que espera um grande número de vítimas entre os reféns sequestrados pelos militantes depois que tropas do país puseram fim ao cerco contra os sequestradores fortemente armados que fizeram reféns centenas de trabalhadores num campo de gás perto da cidade desértica de In Amenas.

"Temos cerca de 40 jihadistas, a maioria deles de países muçulmanos, alguns até mesmo do Ocidente", disse Belmokhtar no vídeo, de acordo com o Sahara Media.

A agência de notícias ANI, da Mauritânia, informou anteriormente que os membros da Brigada Mulathameen, de Belmokhtar, disseram que o ataque foi uma retaliação aos ataques franceses contra rebeldes islâmicos que tomaram o controle do norte do Mali no ano passado.

Leia tudo sobre: argéliaain amenasterrorismoal-qaeda

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas