Tucano pediu que candidata petista diga com "clareza" as providências adotadas em relação a alteração de perfis de jornalistas no Wikipédia

Em encontro com prefeitos em Manaus, capital do Amazonia, neste sábado (9), o candidato à Presidência da Reública pelo PSDB, Aécio Neves, classificou como "absurdo e demonstração de autoritarismo" o uso da rede de internet do Palácio do Planalto para alteração de perfis de jornalistas na Wikipédia, enciclopédia virtual.

Candidato tucano, Aécio Neves participa de encontro com prefeitos em Manaus
Igo Estrela/Divulgação
Candidato tucano, Aécio Neves participa de encontro com prefeitos em Manaus

"É um absurdo o que vem acontecendo no Brasil. É mais uma demonstração do autoritarismo desse governo que acha que tudo pode, acha que é dono do país e até agora da história das pessoas", disse.

O tucano ainda ironizou a candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT), sugerindo que ela mude o slogan de campanha para "eu não sabia de nada", citando também os escândalos do mensalão e da Petrobras.

"Está na hora da presidente da República dizer com muita clareza que providências está tomando. Se não, está na hora de mudar o slogan de seu governo de Brasil para todos para o Brasil de eu não sabia de nada. Porque cada denúncia que surge, seja em relação ao mensalão, Petrobras e tanta outras é sempre ‘eu não sabia de nada’, afirmou. 

Mais cedo, em passagem por Osasco, na Grande São Paulo, a petista classificou a alteração dos perfis como "inadmissível" e disse que determinou à Casa Civil uma investigação com a participação do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), do Ministério da Justiça, da Polícia Federal, da Secretaria-Geral da Presidência e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Reportagem do jornal O Globo publicada na sexta (8) apontou que os perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, ambos da Rede Globo, na Wikipédia foram alterados em maio do ano passado a partir da rede de internet do Palácio do Planalto. Foram incluídas críticas às atuações dos profissionais como comentaristas econômicos.

Salário mínimo

Aécio Neves também criticou a atual presidente em relação ao reajuste do salário mínino. 

" O aumento real do salário mínimo no governo do presidente Fernando Henrique, um governo de dificuldades, com um quadro de hiperinflação a ser debelado, foi de alguma coisa em torno de 45%. No governo do presidente Lula, depois das reformas macroeconômicas feitas, ficou um pouco mais de 50%. O aumento real do salário mínimo do governo da atual presidente da República é de cerca de 12%".

Sem citar números, ele afirmou que vai "conduzir um governo responsável, que permita o resgate dos investimentos no Brasil, portanto, com serenidade, com tranquilidade para o Brasil voltar a crescer e que respeite os municípios".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.