Colégio Christus confirma ter questões do Enem em banco próprio

Em nota, escola que aplicou nove itens antes do exame diz que questões pré-testadas podem cair em domínio público

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

O colégio e cursinho pré-vestibular Christus, do Ceará, que aplicou questões do Exame Nacional do Ensino Médio em simulado anterior à prova, confirmou que tem em seu vasto banco de questões do estilo do Enem nove perguntas que caíram no exame do fim de semana. Segundo nota divulgada esta tarde pela direção da instituição, o banco do colégio é feito a partir da colaboração de professores e das sugestões de alunos ou ex-alunos.

No texto, explica que as perguntas do Enem, por serem da metodologia Teoria de Resposta ao Item (TRI) , são pré-testadas, e por isso existe a possibilidade de caírem em domínio público antes da realização oficial do exame. A direção do colégio nega que tenha tido contato prévio com a prova em si, mas diz que o banco de questões do Christus pode ser integrado também por questões provenientes de sugestões dos alunos que realizaram o pré-teste, sem o conhecimento da escola no que diz respeito à origem desses dados.

Em entrevista ao iG , o diretor Davi Rocha diz que alunos do então 3º ano do ensino médio no colégio participaram de pré-teste do Enem em outubro de 2010 e supõe que as questões que agora foram usadas no exame tenham chegado ao banco do Christus através deles. "Imaginamos que essas questões devem ter sido fornecidas por alunos ou ex-alunos", diz.

Para o diretor, a aplicação do pré-teste torna o exame vulnerável e acaba com o ineditismo de qualquer questão. Rocha contou que o colégio Christus tem um enorme banco de dados de testes, o que considera um diferencial da instituição, uma das mais tradicionais do Ceará. Para alimentá-lo, incentiva alunos a mandarem questões para professores ou depositarem sugestões em urnas.

Sem divulgar o tamano desse banco, Rocha disse que ficou surpreso quando surgiu nas redes sociais a denúncia de que alunos do colégio de Fortaleza haviam tido contato com questões do Enem antes da prova . "Nunca se cogitou que as questões aplicadas na preparação dos alunos fossem idênticas às do Enem”, disse.

Quando questionado sobre o motivo pelo qual o material didático com questões do Enem fornecido aos alunos não apresentava a logomarca da instituição, ele afirmou que a intenção não era esconder a origem. Segundo o diretor, na fase preliminar de preparação dos alunos, a escola, na pressa, acaba imprimindo simulados e apostilas e outras publicações sem a identificação.

Anulação do Enem

O Ministério Público do Ceará irá encaminhar uma recomendação ao Ministério da Educação (MEC) de anulação do Enem 2011. O MEC diz que não há registro de vazamento da prova e pediu que a Polícia Federal investigue o caso. O governo estuda ainda excluir os 639 alunos do colégio Christus do exame e oferecer a eles a possibilidade de refazerem o Enem nos dias 28 e 29 de novembro, quando será aplicado nos presídios. Sobre essa possibilidade, o diretor do Christus disse que a escola será "solidária" tanto aos que optarem por refazer o exame como aos que se negarem. "A maioria não vai querer fazer, porque não somos culpados", prevê.

Segundo o MEC, se a escola tiver mesmo responsabilidade na antecipação das questões, o diretor poderá ser responsabilizado civil e criminalmente.

Leia a íntegra da nota do colégio Christus:

"O COLÉGIO CHRISTUS, considerando as notícias correntes a respeito das questões do último ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio, vem apresentar publicamente os seguintes esclarecimentos:

1. Nos anos 2010 e 2011, o COLÉGIO CHRISTUS não foi responsável pela aplicação do ENEM, sendo, assim, impossível que mantivesse qualquer tipo de contato prévio com o exame;

2. Como é do conhecimento de todos, a metodologia utilizada pelo ENEM é baseada na TRI – Teoria de Resposta ao Item, necessitando, assim, do pré-teste das questões, realizado em diversas escolas de ensino médio do Brasil;

3. Como há o pré-teste de questões utilizadas no ENEM, existe a possibilidade de que essas questões caiam no domínio público antes da realização oficial do exame, as quais eventualmente podem compor o banco de dados de professores e de outros profissionais da área de educação;

4. O COLÉGIO CHRISTUS mantém vasto banco de questões, construído a partir da colaboração de professores e das sugestões de alunos ou ex-alunos, tendo como única exigência que as questões estejam no estilo próprio do ENEM;

5. O banco de questões do COLÉGIO CHRISTUS pode ser integrado também por questões provenientes de sugestões dos alunos que realizaram o pré-teste, sem o conhecimento da escola no que diz respeito à origem desses dados;

6. O COLÉGIO CHRISTUS verificou que há evidências de que as questões em discussão foram objeto de pré-testes efetivados para o ENEM entre os anos 2009 e 2011;

7. As questões da base de dados do COLÉGIO CHRISTUS provêm de diversas outras fontes, inclusive da própria rede mundial de computadores (internet) – mensagens de e-mail, simulados, fóruns de discussão e mídias sociais –, assim como da conversão de questões clássicas em questões “estilo ENEM”, dentre outras origens;

8. Uma instituição de ensino que tenha profundo conhecimento da TRI – Teoria de Resposta ao Item – e possua vasto banco de questões originadas das mais diversas fontes, poderá ter boa margem de acertos nas avaliações do ENEM e de outros vestibulares;

9. No que se refere à redação, por exemplo, foi abordado o lógico no exame: o tema das redes sociais. No eixo temático do COLÉGIO CHRISTUS, durante a preparação dos alunos para o ENEM, focou-se a capacidade das redes na mobilização popular, considerando os últimos acontecimentos no Oriente Médio. O ENEM, por sua vez, focou as redes sociais considerando os limites entre o público e o privado nas relações inter-pessoais. A abordagem do tema “redes sociais” pelo COLÉGIO CHRISTUS, na preparação dos alunos, decorreu de uma avaliação contextual, mediante pesquisas e consultas a diversas fontes;

10. De resto, desafia a lógica e agride o bom senso alguém imaginar que, tendo de alguma forma conseguido previamente questões que seriam aplicadas no ENEM, fosse o COLÉGIO CHRISTUS torná-las públicas, entre os seus alunos, dez dias antes do exame.

11. O COLÉGIO CHRISTUS afirma, por fim, que agiu em estrita conformidade com os princípios da ética e da licitude que vêm pautando sua conduta ao longo de 60 anos de história.

COLÉGIO CHRISTUS
A Direção"

Veja imagens de questões distribuídas aos alunos e da prova do Enem (azul):


    Leia tudo sobre: Enem 2011Christus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG