Mais de 309 mil candidatos receberam nota zero na redação, mas a média melhorou em relação a 2016; presidente do Inep minimizou a alta no número de estudantes que não conseguiram atender ao tema proposto na redação

Ministro da Educação, Mendonça Filho divulgou resultados da edição 2017 do Enem
Luis Fortes/MEC - 18.1.18
Ministro da Educação, Mendonça Filho divulgou resultados da edição 2017 do Enem

A última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve um número maior de redações com nota zero, apesar de menos candidatos terem realizado a prova em relação à edição de 2016. Já o total de redações que obtiveram nota máxima (mil) recuou dos 77 verificados em 2016 para apenas 53 em 2017.

De acordo com os  dados divulgados nesta quinta-feira (18) pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Inep (instituto responsável pelo exame), a nota zero foi aplicada para mais de 309 mil dos 4,7 milhões de candidatos (6,5% do total) que fizeram a redação do  Enem , cujo tema em 2017 foram os "Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil".

Na edição anterior do exame, mais de 6 milhões de estudantes fizeram a redação sobre os "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil", sendo que 291 mil (4,85% do total) acabaram recebendo nota zero.

Os responsáveis pela correção das provas apontaram que o principal motivo para a aplicação da nota zero na redação foi a fuga ao tema, responsável por 5,01% das avaliações negativas em 2017. Na edição anterior da prova, a fuga ao tema respondeu por apenas 1% das notas zero.

Apesar desse dado, a presidente do Inep, Maria Inês Fini, minimizou o número de estudantes que não conseguiram atender ao tema pedido na prova. “A fuga ao tema ocorre em todas as edições do exame, não foi tanto. Isso é absolutamente normal, não chama tanto a atenção”, declarou.

Também justificaram aplicação de nota zero a entrega de prova em branco (0,80%), a apresentação de texto insuficiente (0,33%), uso de partes desconectadas (0,17%), não atendimento ao tipo textual (0,11%) e cópia do texto de apoio (0,09%).

A presidente do Inep disse ainda que foi flagrado desrespeito aos diretos humanos num total de 205 redações. A aplicação da nota zero para estudantes que fizessem isso foi motivo de impasse judicial às vésperas da aplicação do Enem, disputa que se encerrou após decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia. A ministra considerou inconstitucional a aplicação de nota zero por esse motivo.

Fez o Enem e não sabe como usar a nota? Veja quatro dicas de como se planejar

Desempenho de estudantes melhorou em três competências

Apesar do aumento no total de notas zero, o MEC verificou melhora na proficiência dos estudantes na prova de redação. A nota média subiu de 541,9 para 558 em 2017, na comparação com o ano anterior.

Também houve melhora em outras duas competências testadas no exame. Em matemática, a nota média passou de 489,5 para 518,5. Já em ciências da natureza, o resultado médio ficou em 510 no ano passado, frente à média 477 registrada em 2016.

Nenhum estudante conseguiu gabaritar (acertar todas as questões) em nenhuma das competências. O candidato que mais se aproximou disso obteve nota 993,9 na prova de matemática.

O Enem 2017 teve mais de 3,7 milhões de inscritos e registrou 29,9% de taxa de abstenção. A última edição do exame foi a primeira realizada em dois fins de semana, nos dias 5 e 12 de novembro. 

Além de divulgar os resultados da última edição do exame nacional, o Ministério da Educação também anunciou nesta quinta-feira as datas para a aplicação do Enem 2018: 4 e 11 de novembro. As inscrições poderão ser feitas entre os dias 7 e 18 de maio.

Leia também: MEC divulga calendário do ProUni: inscrições começam no dia 6 de fevereiro

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.