USP 'quebra preconceito' e já é líder em mestrados profissionais no Brasil

Por Davi Lira - iG Educação |

compartilhe

Tamanho do texto

18º curso da instituição está com inscrições abertas; gratuitas, elas podem ser feitas pela internet até o dia 6 de junho

Divulgação/Usp
A USP já tem 18 mestrados profissionais, quantidade maior que UFRJ, Unesp e Unicamp

A Universidade de São Paulo (USP) já é a instituição que possui mais mestrados profissionais no país. Com a aprovação recente de programas dessa natureza e a abertura oficial, neste mês, do curso em Matemática, Estatística e Computação Aplicadas à Indústria, a USP já contabiliza 18 mestrados profissionais. O número é superior à quantidade de cursos existentes em instituições como a Universidade Federal do Rio de Janeiro, que tem 15 mestrados profissionais, a Universidade Estadual Paulista (Unesp), que conta com nove, e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que tem apenas quatro. Os dados são da Capes, a agência do Ministério da Educação (MEC) responsável pela avaliação de cursos de pós-graduação.

Acompanhe mais notícias no canal iG Educação
Siga o iG Educação pelo Twitter

A modalidade, que ainda enfrenta resistência por parte de universidades públicas, é o mais novo tipo de pós-graduação autorizado pelo governo. O mestrado profissionalizante foi reconhecido a partir de 1998, tornou-se mais popular a partir de 2005, com os mestrados profissionais da Universidade Aberta do Brasil (UAB), e passaram por novas regras de regulamentação em 2009. Mesmo depois de tanto tempo, ele ainda é considerado "o primo pobre" dentro dos programas de pós das universidades.

Novo curso

Com o mestrado acadêmico em Matemática, Estatística e Computação Aplicadas à Indústria, a USP - reconhecida como uma instituição ainda resistente à iniciativa privada - busca romper essa relutância para se aproximar mais do setor produtivo. Ofertado pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), esse novo mestrado profissional tem o objetivo claro de "melhorar a formação dos profissionais e atender à demanda da indústria", afirma o instituto, sediado em São Carlos (SP). Um enfoque bem diferente dos mestrados tradicionais, que são mais acadêmicos e voltados, prioritariamente, à formação de investigadores e professores universitários.

Leia mais:
Entenda as diferenças entre todos os tipos de pós-graduação
USP, Unesp e Unicamp anunciam congelamento de salários

Para o novo curso da USP, serão oferecidas 20 vagas, todas elas voltadas a profissionais que tenham tido experiência de mercado nos últimos dois anos. As inscrições para esse mestrado são gratuitas e podem ser feitas pela internet até o dia 6 de junho. O início da primeira turma está previsto para agosto. "Com o nosso curso, damos um passo à frente nesse processo de aproximação com o setor produtivo. Como trabalho final de conclusão, os alunos farão uma dissertação voltada a gerar patentes, produtos ou métodos que estimulem o avanço das empresas", afirma Antonio Castelo Filho, coordenador do novo programa.

Getty Images/Reprodução
Nas universidades, mestrado profissional é menos prestigiado que o tipo tradicional

Preconceito

Mesmo com esse passo dado pela USP, a realidade é que nas instituições públicas do país, o mestrado profissional ainda tem menos força que o mestrado acadêmico. Por vezes, a nova modalidade é vista como um "curso secundário", mesmo que o diploma tenha o mesmo valor que o do mestrado acadêmico, conforme parecer do Conselho Nacional de Educação. 

"Esse tipo de curso não traz nenhum prejuízo para as universidades, se ele for complementar e acessório aos programas de pós-graduação. Mas nossa finalidade mesmo é o mestrado regular. Quem faz o profissional vai continuar no mercado", diz Gustavo Balduíno, secretário executivo da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). De acordo com ele, os programas de pós-graduação devem focar na formação de futuros professores-pesquisadores.

No entanto, para a Associação Nacional de Pós-graduandos (Anpg), as instituições devem ter um enfoque mais amplo. "A universidade não tem que só formar para a academia. Precisamos melhor formar os recursos humanos de outros setores produtivos", diz Tamara Naiz, presidente da Anpg. Mesmo valorizando a iniciativa das universidades que ampliam o número dos mestrados profissionais, Tamara critica a condução de alguns cursos, especialmente os voltados para a educação.

A Universidade Aberta do Brasil, que oferece cursos de mestrado acadêmico a distância para professores da rede pública, tem o desafio de combater a evasão dos seus mais de 230 mil alunos. Atualmente, são oferecidos por meio do sistema da UAB cursos nas áreas de Matemática, Letras, e Física. E, na última terça-feira (13), houve a criação de mais três novos programas: os mestrado profissional em rede nacional de Artes (ProfArtes), Administração Pública (ProfiAP) e Ensino de História (ProfHistória).

Meta 14 do PNE

De acordo com José Fernandes de Lima, presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE) - órgão consultor do Ministério da Educação (MEC) -, a criação de mestrados profissionais pode contribuir ainda mais com a meta proposta pelo Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê o aumento no número de mestres e doutores no país. "Vários países do mundo já possuem esse tipo de modalidade. Só recentemente que o Brasil começou com o mestrado profissional. Acreditamos que eles podem sim contribuir com a meta do PNE de termos até mais doutores em 2020", diz Lima.

Atualmente, o país forma mais de 42 mil mestres e 12 mil doutores por ano, segundo dados do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), organização ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A meta do PNE – que ainda está em discussão no congresso - é chegar a formar, em 10 anos, 60 mil mestres e 25 mil doutores anualmente.

Veja os 25 programas de mestrado e doutorado com nota 7 da USP (São Paulo)

Curso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Administração. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Estatística. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Ciências (Biologia da relação Patógeno-Hospedeiro). Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Medicina (Medicina Preventiva). Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Economia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Farmácia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Ciência Política. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Enfermagem na Saúde do Adulto. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Sociologia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Ciências dos Alimentos. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Engenharia Metalúrgica. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Meteorologia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Geografia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Educação Física e Esporte. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Ciências Médicas. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Filosofia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Astronomia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Geociências (Geoquímica e Geotectônica). Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Anatonia dos animais domésticos e silvestres. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Física. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Ciências Biológicas (Bioquímica). Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Imunologia. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Linguística. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Química. Foto: Getty ImagesCurso com nível de excelência internacional | Nome do programa de pós-graduação: Psicologia. Foto: Getty Images
Leia tudo sobre: USPPós-graduaçãoMestrado ProfissionalMECCapes

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas