PNE e royalties do pré-sal são prioridades do governo até o fim do ano

Ministra Ideli Salvatti afirmou que intenção é tratar os dois assuntos no Congresso para garantir recursos para educação

Agência Brasil |

Agência Brasil

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse nesta terça-feira (9) que é prioridade para o governo a aprovação até o final do ano, no Congresso Nacional, do Plano Nacional de Educação (PNE) e do novo modelo de partilha dos royalties decorrentes da exploração do petróleo na camada pré-sal. Ideli, no entanto, reconheceu que esses não são temas fáceis por “envolver muitas paixões”.

Tramitação: Projeto que destina 10% do PIB para educação segue para o Senado

Recursos: Dilma defende royalties para dar mais investimento à educação

“Temos a expectativa da possibilidade de concluir. Não são assuntos simples, tranquilos, são assuntos que envolvem muitas paixões, militância de parlamentares, interesses colocados, mas há possibilidade de avançar”, disse, após se reunir com líderes de partidos da base aliada do governo.

A intenção, segundo a ministra, é tratar os dois assuntos, PNE e royalties, de forma casada para que o pré-sal assegure recursos para a educação. “Para garantir um percentual maior [de recursos] no PNE é preciso que a fonte do recurso esteja assegurada e garantida. Essa forma seria a discussão a respeito dos royalties e do Fundo Social do Pré-sal”, explicou a ministra. O PNE prevê que em dez anos o Brasil destine 10% do Produto Interno Bruto (PIB) à educação. A proposta inicial apresentada pelo governo definia uma meta de 7,5%.

Na reunião com os líderes da base aliada, a orientação foi votar as medidas provisórias enviadas pelo governo ao Congresso Nacional até o final deste ano, pois no início de 2013 haverá eleição para a presidência da Câmara e do Senado e o feriado de carnaval.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG