Tamanho do texto

Com o objetivo de evitar métodos invasivos para descobrir o sexo dos animais, um pesquisador doutorando pensou em uma solução muito criativa

Para salvar as tartarugas da extinção, cientistas resolveram usar um aparato sexual inusitado
Reprodução/Donald McKnight
Para salvar as tartarugas da extinção, cientistas resolveram usar um aparato sexual inusitado


Tão antigas quanto os dinossauros, as tartarugas são animais famosos em todo o mundo por sua incrível vitalidade. Porém, cerca da metade das espécies do animal correm risco de extinção, e para salvá-las, um cientista teve uma ideia criativa: usar brinquedos sexuais para estimular as genitálias dos animais.

Leia também: Sem pressa: tartarugas invadem aeroporto e atrasam voos em Nova York

Por mais estranha que a solução possa parecer, ela surgiu da necessidade de identificar os machos e as fêmeas dentro de uma população para compreender seus problemas e encontrar maneiras de conservá-la. Entretanto, pode ser muito difícil diferenciar os dois sexos, já que, quando o pênis das tartarugas não está estimulado, ele fica alojado dentro de seu corpo.

Assim, seria preciso fazer um corte no animal para descobrir o seu sexo, e como o método é muito invasivo, o cientista Donald McKnight – que estuda a espécie em sua tese de doutorado – teve uma ideia: “parecia razoável para nós [ele e sua equipe] utilizar um vibrador para fazer o réptil ejacular [...] porque dessa forma, conseguimos contar a quantidade de machos e fêmeas”, o australiano explicou, de acordo com o site   Gizmodo .

Para testar a eficiência da ideia, o pesquisador e seus colegas compraram o vibrador mais barato que puderam encontrar: um brinquedo sexual prateado, pequeno e com a aparência de uma bala.

O grupo testou o “brinquedinho” em diferentes espécies e chegou a conclusão de que cada animal responde de forma única à estimulação: grandes répteis, por exemplo, precisam de vibradores proporcionais ao seu tamanho.

Leia também: 75% de todas as espécies podem desaparecer da Terra em séculos, aponta estudo

Uma descoberta séria

Essa solução pode facilitar o trabalho de cientistas
Reprodução/Donald McKnight
Essa solução pode facilitar o trabalho de cientistas

Agora, McKnight espera que estudos futuros analisem o efeito de cada tipo de vibrador em diferentes espécies, assim como a eficácia deste método. Isso porque a descoberta pode parecer engraçada, mas ela está longe de ser uma “diversão” para os pesquisadores.

“Acho importante ressaltar que essa técnica é a menos invasiva e traumática para os animais, e é exatamente por isso que nós resolvemos testá-la”, explicou.

Segundo o site Gizmondo , determinar a quantidade de machos e fêmeas em uma população é uma prioridade em pesquisas sobre animais em extinção , e assim como nas tartarugas, outras espécies podem apresentar barreiras para que os cientistas determinem o número exato. Por isso, é muito provável que muitos materiais acadêmicos sejam desenvolvidos a partir da ideia de McKnight.

Leia também: Russo recebe multa de R$ 500 mil por caçar tigres, ursos e aves em extinção

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.