Pela quantidade de vestígios encontrados, acredita-se que na região havia uma grande aldeia do grupo Aratu com centenas de pessoas

Sítio arqueológico foi descoberto às margens do Reservatório de Paraibuna, no Vale do Paraíba, em São Paulo
Divulgação/Thiago Takeda
Sítio arqueológico foi descoberto às margens do Reservatório de Paraibuna, no Vale do Paraíba, em São Paulo

Vestígios do grupo indígena Aratu foram encontrados em uma área próximo às margens do Reservatório de Paraibuna, no Vale do Paraíba, em São Paulo. O local fica próximo as obras da construção da Nova Tamoios.

De acordo com a Dersa, além de inúmeras urnas funerárias, foram encontrados fragmentos de utensílios cerâmicos e material lítico lascado, predominantemente em sílex e quartzo, utilizados geralmente como ferramentas de corte e perfuração. Pela quantidade de peças encontradas, trata-se de uma grande aldeia, com centenas de pessoas.

Leia também: 
Obra de rodovia no Rio revela 70 sítios arqueológicos
Operários descobrem sítio arqueológico em construção no centro de Londres

A descoberta surpreendeu arqueólogos, pois a presença do Grupo Aratu, cuja população indígena mais comum era a Tupiguarani, é rara na região do Vale do Paraíba. Estima-se também que os índios tenham vivido nessa região antes do período de colonização do Brasil, por volta de 1400. Ainda de acordo com o estudo realizado pela Dersa, os vestígios encontrados não apontam indícios de que a tribo tinha contato com portugueses, que chegaram ao país em 1500.

Os trabalhos de prospecção e resgate arqueológicos foram realizados pela DERSA como parte das obras da Nova Tamoios. A Dersa afirma que a área em que os vestígios foram encontrados não será afetada diretamente pelas obras, por isso será preservada e utilizada para pesquisas. A partir de sua descoberta ela passa a ser patrimônio arqueológico da União.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.