Ex-usuário e ex-traficante de crack explica como largou o vício

Emerson da Silva diz que precisa de um emprego para reconstruir sua vida; veja a entrevista

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Nos quatro anos em que vive em São Paulo o ajudante de serviços gerais Emerson Damião da Silva foi do céu ao inferno. Hoje vive numa espécie de purgatório. “Tudo o que eu preciso agora é de um emprego para reconstruir minha vida”, disse ele.

Nascido no Rio de Janeiro e criado na Paraíba, Damião trouxe a mulher e dois filhos na esperança de uma vida melhor. Galgou empregos, chegou a ganhar R$ 1,8 mil por mês mas, depois de uma desilusão amorosa, caiu no álcool e no crack – droga apresentada por colegas de trabalho.

Infográfico: Os efeitos do crack no corpo
Pesquisa:
Uso de crack supera 10 anos na Cracolândia
'Pai' da Cracolândia:
Ex-presidiário tenta botar ordem no caos

null

Graças ao vício perdeu a casa, o emprego e o contato com a família. Foi morar na rua. Mendigou, traficou, foi preso por assalto, passou por clínicas de recuperação.

Continuidade: Polícia continua na Cracolândia, decidem promotores e governo
Biricolândia: Ação da polícia cria 'subcracolândias' no centro de São Paulo

Há três meses vive a proeza de conseguir estar limpo da droga apesar de viver nas ruas entre viciados. "Só consegui sair no dia em que tive a consciência eu mesmo de que estava me destruindo”, disse ele em entrevista ao iG na porta de um albergue na região conhecida como Biricolândia , um subproduto da Cracolândia.

Leia outras notícias sobre a operação da PM na Cracolândia:

- Polícia Militar volta a dispersar população da Cracolândia

- Usuários da Cracolândia se espalham pelo centro de São Paulo

- Policiamento reforçado não intimida e usuários se drogam na Cracolândia 

    Leia tudo sobre: cracolândiacracktraficanteusuário

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG