Dilma envia três ministros para incêndio em favela de SP

Gilberto Carvalho, Secretaria-Geral da Presidência, Tereza Campello, Desenvolvimento Social, e Maria do Rosário, Direitos Humanos, vão à Favela do Moinho

Ricardo Galhardo e Fernanda Simas, iG São Paulo |

Futura Press
Incêndio em favela de São Paulo
A presidenta Dilma Rousseff enviou três ministros para o incêndio na Favela do Moinho , no centro de São Paulo. Gilberto Carvalho, ministro ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Tereza Campello, ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, e Maria do Rosário, ministra da Secretaria de Direitos Humanos.

Durante o discurso para catadores em São Paulo, Dilma foi informada sobre o incêndio e se referiu à favela como bairro popular. A presidenta participou da comemoração de Natal de catadores de lixo e moradores de rua, em São Paulo, evento tradicional do qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareceu desde 2003.

Gilberto Carvalho disse que foi ao local para saber como o governo federal pode atuar. "Esperamos que as autoridades estaduais e municipais já tenham tomado providências, mas vamos para lá para ver o que o governo federal pode fazer", afirmou o ministro.

Já na favela, Carvalho afirmou que vai incluir os moradores que perderam suas casas no programa "Minha Casa, Minha Vida". "Vamos conversar com o prefeito Gilberto Kassab para definir a inclusão dos moradores no programa do governo federal", disse.

Incêndio

Um incêndio de grande porte em um galpão abandonado em Campos Elíseos, no centro de São Paulo, atingiu centenas barracos da Favela do Moinho. Moradores de rua que estavam no galpão foram resgatados com o uso do helicóptero Águia da PM. O fogo, que teve início às 10h30, foi controlado por volta das 12h50. Uma hora depois, os bombeiros confirmaram a morte de uma vítima. O corpo, ainda não identificado, foi encontrado carbonizado.

Leia também: Rio de Janeiro x São Paulo: conheça as principais diferenças das favelas

Na comunidade do Moinho há 1.656 moradores e 532 barracos. É o que revela o Censo Demográfico - Aglomerados Subnormais de 2010, divulgado na quarta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao todo, 37 viaturas foram deslocadas para a rua Dr. Elias Chaves, altura do número 20. Segundo os bombeiros, 120 homens participaram no combate às chamas. Até o momento, há informação de um morto e outros três pessoas feridos. Uma vítima foi encaminhada ao pronto-socorro do Tatuapé com o punho fraturado e queimaduras. Outras duas apresentaram sinais de intoxicação e foram levadas para a Santa Casa.

Trânsito e trens

O trânsito e o funcionamento da linha férra da Companhia Paulista de Trens Metrpolitanos (CPTM) são afetados com o incêndio. A fumaça é densa no local. Bombeiros contam com a apoio das viaturas da Polícia Militar, Defesa Civil, Eletropaulo e Companhia de Engenharia e Tráfego (CET).Segundo o órgão de trânsito, há lentidão no viaduto Engenheiro Orlando Morgel com rua do Bosque, devido curiosidade dos motoristas que reduzem a velocidade.

    Leia tudo sobre: incêndiodilmaministros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG