Exame mostra que cachorro encontrado em Araçariguama não é beagle

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Cão, suspeito de ter sido levado do Instituto Royal, de São Roque (SP), durante a invasão de ativistas dos direitos dos animais, no dia 18 de outubro, é de raça mista e tem dono

Agência Estado

Exame realizado por um médico-veterinário na cachorra encontrada nesta quarta-feira (6) em Araçariguama (SP) revelou que não se trata de animal da raça beagle. O cão, suspeito de ter sido levado do Instituto Royal, de São Roque (SP), durante a invasão por ativistas, no dia 18, é de raça mista e tem dono.

Análise: "Parece uma ação caridosa, mas estes beagles podem ser um risco"

Seria a maior piada do País, diz Luisa Mell sobre ser presa por furto de beagles

Depois de comprovar a posse da cachorra nesta quinta-feira (7) o proprietário a levou para casa. Exames revelaram que outro cão beagle que tinha sido achado em São Roque também não pertencia ao instituto. Com isso, apenas quatro dos 178 animais levados da unidade foram efetivamente recuperados.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, que investiga a invasão do instituto e a subtração dos beagles, encaminhou à Justiça pedido de prorrogação do prazo para concluir o inquérito, inicialmente previsto em 30 dias. De acordo com a Polícia Civil, as investigações envolvem também o tumulto ocorrido durante manifestação de protesto no dia 19, e que envolveu centenas de pessoas.

Resgate: Veja o momento da retirada de beagles do Instituto Royal

Protesto: Manifestantes entram em confronto com a polícia em São Roque

Em razão do grande número de testemunhas e investigados a serem ouvidos, o prazo deve ser prorrogado para mais trinta dias. Na quarta-feira, o Instituto Royal anunciou o fim das atividades em São Roque em razão da falta de segurança. De acordo com a polícia, essa decisão não altera o rumo das investigações.

Leia tudo sobre: GERALbeaglescachorrosInstituto Royal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas