PF preferiu não prender israelense pedido pela Interpol até desarticular quadrilha

Procurado por polícias dos EUA e do Uruguai, Yoram El Al era peça-chave de esquema de contrabando de carros e lavagem de dinheiro

Raphael Gomide e Mario Hugo Monken, iG Rio de Janeiro |

Reprodução
Yoram El Al tinha alerta de difusão vermelha da Interpol a pedido do Uruguai e dos EUA
A Polícia Federal optou por monitorar, mas não prender o israelense Yoram El Al , apesar de haver pedido de prisão contra ele expedido pela Interpol. A PF preferiu esperar até juntar mais provas e poder também desarticular toda a quadrilha de contrabando de carros e lavagem de dinheiro.

Reprodução
O israelense Yoram El Al é acusado de crimes internacionais e lavagem de dinheiro
A investigação durou cerca de dois anos, segundo o superintendente regional da PF, Valmir Lemos de Oliveira.

Yoram El Al, que foi preso nesta sexta-feira em uma megaoperação da Polícia Federal contra contrabando, era procurado pela Interpol por crimes relacionados a drogas, crime organizado e lavagem de dinheiro, entre outros.

O israelense tinha alerta de difusão vermelha da Interpol – pedido de prisão internacional – pedido pelas polícias de San José, no Uruguai, e de Los Angeles, nos Estados Unidos, de acordo com o site da Interpol (Polícia Internacional).

O israelense aparece como uma das “pessoas procuradas” da lista da Interpol. Entre os crimes que supostamente praticou, de acordo com o site, estão crime organizado e transnacional, lavagem de dinheiro, furtos, crimes relacionados ao tráfico de drogas e fraude.

Apesar do alerta, a Polícia Federal do Brasil – que apura o caso há cerca de dois anos – optou por mantê-lo sob vigilância e investigação, a fim de obter provas para prender toda a quadrilha que praticava contrabando de carros e lavagem de dinheiro, entre outros crimes. A página da Interpol na internet mostra três fotos de Yoram preso, tiradas em 2004, segundo a legenda.

Em 2006, de acordo com o superintendente regional da Polícia Federal no Rio, Valmir Lemos de Oliveira, o israelense foi detido no Brasil, mas liberado e autorizado a ficar no País. Segundo a descrição da Interpol, Yoram El Al nasceu em março de 1971,em Tel Aviv, Yoram tem 40 anos, 1,85m e 99 quilos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG