Chefe do tráfico da Rocinha foi preso na manhã desta quarta-feira; nas fotos, ele aparece algemado e, em uma das imagens, sorri ao lado de uma agente

Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157
Reprodução/redes sociais
Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157

Imagens de policiais sorrindo e posando ao lado de Rogério Avelino dos Santos – o chamado "Rogério 157" – viralizaram na manhã desta quarta-feira (6), instantes após a prisão dele que é o chefe do tráfico na comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro .

Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157
Reprodução/redes sociais
Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157

Nas fotos, os agentes comemoram a prisão do traficante. Algumas das imagens são selfies e, em uma delas, Rogério 157 aparece algemado e sorrindo.

O traficante foi preso na manhã desta quarta, na comunidade do Arará, na zona Norte do Rio. Ele era um dos criminosos mais procurados do estado, e foi encontrado durante operação das Forças Armadas, das polícias Civil, Militar, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal.

O chefe do tráfico na Rocinha foi levado para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho, onde as fotos que viralizaram nas redes sociais foram registradas.

Guerra ao tráfico

Desde setembro, a comunidade da Rocinha, na zona Sul da cidade, enfrenta uma "guerra" entre traficantes da mesma facção, a chamada "Amigos dos Amigos" (ADA).

Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157
Reprodução/redes sociais
Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157

Na época, segundo afirmou o porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz, o confronto teve início após a invasão de 60 homens armados na favela da Rocinha a mando do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, preso em uma prisão federal na Rondônia, ex-comandante do tráfico na região, agora liderado por Rogério.

Leia também: Ostentação e guerra: em meio a conflitos, bandidos da Rocinha 'se exibem' na web

Assim, de acordo com a PM, a guerra pelo tráfico da Rocinha é motivada por uma rixa entre os dois criminosos.

Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157
Reprodução/redes sociais
Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157

Os dois teriam rompido a aliança em meados do ano passado, quando Rogério determinou a execução de outro traficante da comunidade, irritando Nem. Além disso, ele devolveu o controle das bocas de fumo na favela.

Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157
Reprodução/redes sociais
Nas fotos, os agentes policiais comemoram a prisão do traficante Rogério 157

A operação

Com o apoio de 2.900 homens das Forças Armadas, as polícias Civil, Militar, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal realizam uma grande operação, com a participação de mais de 4 mil agentes, nos morros da Mangueira, do Tuiuti, de Mandela e Arará, na zona norte do Rio de Janeiro .

A operação teve início no fim da madrugada de hoje, mas só depois das 6h é que os agentes entraram de fato nas comunidades, pois precisaram destruir barricadas montadas pelos traficantes nas ruas de acesso aos morros. O espaço aéreo da região central do Rio está controlado para deslocamento dos helicópteros das forças de segurança, mas a medida não compromete as operações de pouso e decolagem nos aeroportos.

Leia também: Polícia irá indiciar traficantes envolvidos em conflitos na favela da Rocinha

Alguns moradores da Rocinha relatam ouvir um tiroteio na favela depois da prisão de Rogério 157 na manhã de hoje. A PM ainda não confirmou esta informação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.