Comunidade tem passado por momentos de tensão, com operações policiais desde o último domingo (17), após favela ser invadida por criminosos

Rompimento de aliança dentro da facção Amigos dos Amigos (ADA) desencadeou confrontos na favela da Rocinha
Rommel Pinto / Parceiros / Agência O Dia
Rompimento de aliança dentro da facção Amigos dos Amigos (ADA) desencadeou confrontos na favela da Rocinha

O delegado titular da delegacia da Rocinha, Ricardo Nunes, disse nesta sexta-feira (22) que vários traficantes já foram identificados e serão indiciados em inquérito aberto pela Polícia Civil, a fim de apurar incidentes na favela do Rio de Janeiro . Ele afirmou que um traficante identificado como “Dançarino” se entregou à Polícia Federal.

As lideranças da facção Amigos dos Amigos (ADA), da Vila Vintém, na zona oeste, e Morro da Pedreira, na zona norte, que teriam participado da invasão da Rocinha no fim de semana, também serão, segundo o delegado, indiciados no inquérito policial, que será remetido à Justiça.

Auxilio das Forças Armadas

Nesta sexta-feira (22), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, atendeu aos apelos do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e autorizou as Forças Armadas a intervirem na favela. Segundo anúncio do ministro, 950 homens da Polícia do Exército participarão do cerco a criminosos.

A comunidade voltou a ser palco de intensos tiroteios na manhã de hoje, quando a Polícia Militar do Rio de Janeiro realiza o quinto dia seguido de operações na comunidade em resposta ao intenso confronto entre traficantes ocorrido no último domingo (17).  De acordo com a PM, criminosos escondidos na área de mata que circunda a favela atiraram contra os policiais que participam da ofensiva nesta sexta.

Não há informação sobre pessoas feridas. Assim como ocorreu durante o tiroteio de domingo, a Polícia Militar voltou a recomendar que a população do Rio evite a região próxima à favela, em São Conrado, na zona sul.

Trânsito

O fechamento da Autoestrada Lagoa-Barra, que permaneceu até às 14h15 de hoje, prejudicou o tráfego de veículos na zona sul. Depois, ela foi reaberta. A Avenida Niemeyer, que liga a Barra da Tijuca a São Conrado, esteve fechada, mas já foi liberada ao tráfego.

Leia também: Haitiano é encontrado morto em cela da penitenciária da Papuda, em Brasília

A linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro, que liga a estação General Osório, em Ipanema, ao Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, está funcionando normalmente. A estação São Conrado, que dá acesso à favela, também opera sem transtornos. O Metrô é a melhor opção para se chegar à zona sul e Barra da Tijuca em razão das ações da Polícia Militar no Vidigal e na Rocinha.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.