Massa de ar polar que provocou nevasca no Chile deve avançar pelo Brasil; sul do País deve registrar temperaturas abaixo de 0ºC, segundo o Inmet

Cidade de São Joaquim (SC) registrou -3,5°C na madrugada de terça-feira; inverno começou oficialmente nesta quarta (21)
Mycchel Hudonn Legnaghi/São Joaquim Online
Cidade de São Joaquim (SC) registrou -3,5°C na madrugada de terça-feira; inverno começou oficialmente nesta quarta (21)

O frio que chegou neste domingo (16) ao sul do País ainda não atingiu o auge e deverá provocar temperaturas negativas ainda neste início de semana, segundo previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A temperatura mais baixa registrada na última madrugada foi de 0,8 ºC em Sâo José dos Ausentes, no nordeste do Rio Grande do Sul. Entre a tarde e a noite de hoje, o Inmet prevê temperaturas negativas nos três estados d sul do País, com possibilidade de até -5 ºC em algumas cidades serranas.

O frio intenso deve avançar para as demais regiões do País e é consequência da massa de ar polar que já resultou uma intensa nevasca no Chile nesse fim de semana .

“Tivemos grandes nevascas ontem em regiões próximas dos Andes, em Santiago do Chile, em Bariloche. Foi registrada a menor temperatura das últimas décadas, que chegou a -25 ºC. São localidades que normalmente são frias, onde há nevascas com frequência. Mas essa onda foi tão intensa que chegou ao ponto de causar transtornos nessas regiões”, explica o meteorologista do Inmet Rogério Rezende.

O Instituto de Meteorologia não descarta que a frente fria provoque neve no fim do dia e durante a noite de hoje nos municípios de maior altitude da Região Sul do País.

A frente fria deve agir até quarta-feira (19), segundo o instituto, quando a temperatura deve voltar a subir. Rezende afirmou que a variação térmica é uma característica normal do inverno na região.

“A gente saiu de 30 ºC, praticamente, para quase 0 ºC, de sábado para domingo. A tendência, agora, é voltarmos a um patamar normal, com a mínima entre 4 e 5 ºC, o que é bem mais elevado do que a gente está esperando para amanhã, por exemplo, que é  -4 e -5 ºC”, explicou o meteorologista.

Leia também: Mulher é presa com 6 kg de metanfetamina no Aeroporto de Guarulhos

São Paulo e demais regiões do País

Em São Paulo, o avanço da frente fria provoca aumento de nebulosidade e rajadas de vento que podem superar os 40 Km/h no decorrer da tarde desta segunda-feira.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da capital paulista, São Paulo deve ter chuvas fracas nos próximos dias e o ápice do frio deve ser na quarta-feira, quando os termômetros variam entre mínimas de 9°C e máximas que não devem superar os 17°C.

Para o Inmet, a força demonstrada pela frente fria nos países vizinhos é uma mostra de que ela deverá avançar pelo Brasil e provocar queda de temperatura em várias regiões.

“Se confirmar a intensidade dessa massa, ela pode chegar até o sul do Acre. Ela vai atingir o Sudeste e o Centro-Oeste do país com certeza, com boa possibilidade de chegar até o Norte”, avaliou Rogério Rezende.

O meteorologista ressaltou, no entanto, que a intensidade do frio será menor na medida em que a frente avançar em direção ao norte. “Toda massa de ar vai adquirindo as características das regiões por onde ela vai passando. Ela já está subindo, passando por regiões mais quentes, e vai arrefecer aos poucos”, explicou.

Leia também: 10 anos de acidente da TAM: ninguém foi condenado por tragédia que matou 199

*Com informações e reportagem da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.