Tamanho do texto

Conselho Municipal de Assistência Social não aderiu ao Criança Feliz, alegando ausência de informações técnicas, operacionais e metodológicas

Primeira-dama Marcela Temer durante lançamento do programa Criança Feliz, em outubro do ano passado
Carolina Antunes/PR - 5.10.16
Primeira-dama Marcela Temer durante lançamento do programa Criança Feliz, em outubro do ano passado

O Conselho Municipal de Assistência Social de São Paulo (Comas) decidiu não aderir ao programa Criança Feliz , que tem a primeira-dama Marcela Temer como embaixadora.

Em resolução publicada no Diário Oficial da Cidade no dia 24 do mês passado, o conselho alega que o governo federal não forneceu informações suficientes em relação às questões técnicas, operacionais, metodológicas e conceituais da iniciativa encabeçada por Marcela Temer . A informação foi publicada na edição desta terça-feira (7) do jornal Folha de S.Paulo .

Uma das falhas apontadas pelo conselho paulistano diz respeito a lacunas jurídicas no termo de aceite do programa voltado ao apoio e acompanhamento do desenvolvimento infantil na primeira infância (até os três anos de idade). O Comas também questiona a origem dos recursos federais e considera que a ausência dessa informação poderia "onerar ações continuadas da Política de Assistência Social já existentes na cidade de São Paulo".

LEIA TAMBÉM: Em Conselhão majoritariamente masculino, Temer saúda as mulheres pelo seu dia

Programa

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, responsável pelo programa Criança Feliz, 2.529 municípios aderiram à iniciativa em todo o País.

O MDSA explica que o programa "terá como ponto central a visitação domiciliar". "Técnicos capacitados irão até as casas das famílias para mostrar aos pais a maneira correta de estimular o desenvolvimento dos filhos nos primeiros mil dias de vida. É neste período que o cérebro se estrutura e que a maior parte das competências fundamentais para o ser humano se desenvolvem. Serão acompanhadas as crianças beneficiárias do Bolsa Família e aquelas que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC)", explica o governo em nota.

Lançado em outubro do ano passado, o Criança Feliz recebeu orçamento de R$ 300 milhões do governo federal.

Ao assumir o posto de embaixadora do Criança Feliz, a primeira-dama disse que sua função seria "sensibilizar e mobilizar setores da sociedade em torno de ações que possam garantir a melhoria na vida das pessoas", acrescentando que seu trabalho seria voluntário.

“Cada brasileiro, desde a gestação, importa para o desenvolvimento do Brasil. O que nós mães percebemos instintivamente tem sido comprovado pela ciência: nós influenciamos a crianças nos seus primeiros anos de vida. Cercada de carinho, uma criança terá mais possibilidade de aprendizado quando chegar à escola e será um adolescente mais preparado para a vida", disse Marcela Temer em seu discurso.

LEIA TAMBÉM: 'Pega e estupra': fuzileiros navais compartilham fotos de colegas nuas na web

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.