Presidente da ANA afirma que transposição depende de acordo entre os Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo

Embora tenha deixado o grupo de gestão do Sistema Cantareira, o presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, afirmou nesta quarta-feira (5) que a proposta de transpor a água da bacia do rio Paraíba do Sul até a capital paulista e a Região Metropolitana é viável.

A proposta, feita pelo governador Geraldo Alckmin, é interligar o Cantareira às represas Jaguaré e Atibainha, da bacia do rio Paraíba do Sul, que corta os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Segundo o presidente da agência, que falou à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Sabesp, "é perfeitamente possível conciliar esses interesses", afirmou. “É um processo de convencimento."

Andreu diz que a gestão do rio Paraíba do Sul foi estabelecida por diversos acordos, que precisariam ser mudados e aceitos pelos Estados envolvidos, algo “delicado”.

Com chuva, Cantareira mantém nível dos reservatórios em 11,9%

Mesmo com chuva, captação de água no Cantareira ainda está abaixo do consumo

Palmeiras x Cantareira

O presidente da ANA, que acusou Mauro Arce, secretário de Recursos Hídricos, de descumprir acordo para redução da captação do Cantareira, chegou a se desculpar por ter dito que seria mais fácil o Palmeiras chegar em primeiro no Campeonato Brasileiro do que dar certo o plano de utilização da segunda cota do volume morto. “Foi uma frase infeliz que um jornalista ouviu e publicou. Peço desculpas publicamente."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.