Angela Merkel deixará comando do país em 2021
Michael Kappeler/Pool photo via AP
Angela Merkel deixará comando do país em 2021

Angela Merkel deixará o comanda da Alemanha em 2021, depois de quatro mandados seguidos. No poder do país desde de 2005 , os alemães tem três candidatos que se destacam para conquistar o posto de chefia do governo federal.

A chanceler tinha o plano de implacar uma sucessora no cargo, a Annegret Kramp-Karrenbauer, porém ela desistiu da concorrência ainda em fevereiro deste ano. O partido delas o CDU (União Democrata Cristã) tinha o planejamento de nomear o líder do partido ainda em 2020, mas com a pandemia da covid-19, tal desejo foi adiado .

No momento, as eleições internas estão marcadas para o dia 16 de janeiro e cerca de mil políticos do partido irão determinar quem ficará a frente do partido CDU. Consequentemente, o novo líder do partido terá favoritismo nas eleições gerais, que estão marcadas para 26 de setembro de 2021.

A disputa está entre  Friedrich Merz , conhecido por ser um deputado conservador.  Armin Laschet , líder de uma das regiões mais populosas do país e Nobert Röttgen , político que já atuou como ministro do Meio Ambiente.

Merz perdeu para Merkel em 2005 nas eleições para decidir a liderança do partido. O candidato chegou a abandonar a política por dois anos e se decidou em sua carreira de advocacia. Assim, construiu grande parte de seu capital representando grande corporações e fundos de investimento no páis. O cientista político, Oliver Stuenkel, descreve o candidato como representante de direita raiz, pois a sua ala no partido crítica os avanços do governo atual por considerar que Merkel mudou a real identidade do partido, hoje se identificando mais com os centristas do que com a direita.

Armin Laschet, primeiro ministro do Norte do Reno-Westphalia é conhecido pela mídia internacional pelas ideologias centristas dentro do partido CDU. Segundo a análise de Stuenkel, Laschet é tido como uma pessoa tranquila e flexível e entre os três, ele é o mais desperta atenção da chanceler. Ele acabou se tornando líder de Norte-Vestfália em 2017, após o CDU passar a governar o estado. E em 2015, quando Merkel tomou a decisão de abrigar refugiados, ele foi um de seus principais apoiadores.

Norbert Röttgen é lider do comitê de Assuntos Exteriores do Parlamento. Em 2012, ele concorreu ao cargo que hoje, é preenchico pelo Laschet, mas na época em que concorreu, o partido CDU não teve a maioria dos votos no Parlamento. Com a derrota, lhe foi oferecido um cargo na oposição do legislativo local, porém ele recusou pois esparava voltar a atuar como ministro no governo de Merkel, contudo, a chanceler não aceitou a sua volta e Röttgen acabou sendo demitido. E de acordo com o cientista político Stuenkel, os políticos não tem uma boa relação.

A decisão de quem chefiará o CDU será essencial para determinar o desenrolar das alianças dentro do Parlamento em 2021. Stuenkel explica que, caso Merz seja escolhido, sua provável aliança será com o partido liberal mas dificilmente os partidos conseguirão cadeiras o suficiente dentro do Parlamento e terão que negociar com outros partidos.

Caso algum dos outros dois candidatos fique a frente do CDU, uma aliança com o Partido Verde e com o Partido Social Democrata são as escolhas mais prováveis. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários