Bolsonaro e Paulo Guedes (arquivo)
Clauber Cleber Caetano/PR
Bolsonaro e Paulo Guedes (arquivo)

Durante a cerimônia do lançamento do Modelo Regulatório do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (PL) aproveitou a sua fala para reafirmar seu alinhamento com o ministro Paulo Guedes. No discurso, ele disse que o "casamento" com o titular da Economia era "indissolúvel".

"Meu casamento com o Paulo Guedes é indissolúvel, não existe divórcio", afirmou . Em sua fala, Guedes comentou sobre a postura do presidente de trocar auxiliares que não "resolvem problemas". Bolsonaro arrancou risos da plateia ao brincar: "até chegar em você".

No discurso, o ministro também elogiou o presidente por ser "um presidente digital" e "atento ao detalhe", mencionando sua proximidade com o eleitorado. "Ele corre atrás e se não está resolvido, ele pressiona para resolver".

A fala acontece dias depois de o senador Flávio Bolsonaro (PL) colocar em dúvida a permanência de Guedes no caso de uma reeleição do presidente. Flávio é coordenador do comitê de campanha de Bolsonaro.

Em entrevista ao jornal O Globo, ele classificou o papel de Guedes é "cansativo", e disse que só dependia do ministro "continuar dando sua contribuição" ao governo.

“Ele (Guedes) tem o senso de responsabilidade de buscar o meio-termo para que a política econômica não degringole o Brasil de vez, a médio e longo prazo, mas sabe da importância, em ano eleitoral, de ter um remédio mais amargo para segurar a inflação, reduzir o preço do dólar e gerar mais emprego. Eu não sei se ele seguiria no cargo em um segundo governo. Depende da disposição dele, que é cansativo. Você vê que o presidente Bolsonaro envelheceu muito, o Paulo Guedes também. É muito desgastante. Se ele quiser continuar dando sua contribuição, o presidente Bolsonaro vai indiscutivelmente topar na hora, mas não sabemos os planos pessoais dele".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários