Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Reprodução/Youtube
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse à Justiça que o custo do passeio de  helicóptero que ele fez até a Esplanada dos Ministérios em maio do ano passado, durante uma manifestação a favor do mandatário e contra do Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso, é sigiloso. As informações são do  Rogério Gentile ao portal UOL .

De acordo com a publicação, o presidente deu ao menos seis voltas na Esplanada, por cerca de 40 minutos. Na ocasião, ele estava companhado pelo então ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

Segundo o jornal, Bolsonaro disse, em um recurso apresentado pelo presidente contra uma decisão do juiz Umberto Paulini, da 21ª Vara Federal do Distrito Federal, que o passeio "se insere no conceito de uma operação estratégica das Forças Armadas". Dessa maneira, a quantia gasta seria considerada sigilosa e só pode ser divulgada após cinco anos, defendeu o mandatário.

Paulini determinou, em um processo aberto pelo advogado Cristiano Dionísio, a divulgação dos gastos e que o chefe do Executivo devolvesse os recursos usados aos cofres públicos.

"Bolsonaro utilizou um bem público, o helicóptero da Força Aérea Brasileira, para finalidade política e de cunho particular, desvinculada de qualquer atuação presidencial", afirmou o advogado.

O pedido de devolução dos custos não foi aceito pelo juiz, que considerou que não houve ilegalidade. A sentença também diz, segundo o jornal, que "a publicidade é a regra geral" do Poder Público, em relação à divulgação dos dados. O recurso apresentado por Bolsonaro ao Tribunal Regional Federal ainda não foi julgado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários