General da ativa, Eduardo Pazuello
Foto: Anderson Riedel/PR
General da ativa, Eduardo Pazuello

A CPI da Covid mapeou pelo menos 38 declarações contraditórias ou falsas de depoentes, a maioria do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello . O levantamento é feito durante cada sessão pela equipe do senador Renan Calheiros (MDB-AL) e deve ser encaminhado ao Ministério Público e incluído no relatório final.

Pazuello teria mentido em 15 ocasiões. O atual ministro da Saúde, Marcelo Queroga, teria sido contraditório quatro vezes. O relatório é parcial e não inclui levantamentio de Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação Social do governo federal e de quem depôs antes dele.

O mapeamento começou a ser feito após o depoimento de Wajngarten, que negou declaração que havia dado em entrevista à revista “Veja” de que teria havido “incompetência” de Pazuello na pandemia. A CPI chegou a discutir a prisão de Ernesto em flagrante pelo crime de falso testemunho, ideia descartada pelo presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM).

A punição prevista para o crime de falso testemunho é reclusão de dois a quatro anos e multa. Senadores avaliam que a responsabilidade criminal das autoridades por mentiras em depoimentos é importante para preservar a autoridade das comissões parlamentares de inquérito.

- Com informações de O Globo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários