Brasil registra 500 mil mortes por Covid-19
Reprodução
Brasil registra 500 mil mortes por Covid-19

O Brasil chegou hoje à marca de mais de meio milhão de mortos pela Covid-19 . Políticos reagiram ao número de vítimas da doença e cobraram responsabilidade do governo federal na condução da pandemia. 

O deputado federal Rodrigo Maia (sem partido), ex-presidente da Câmara dos Deputados , criticou o presidente Jair Bolsonaro. "O Brasil atinge a trágica marca de 500 mil mortes. Um número que poderia ser bem menor se o presidente Bolsonaro tivesse defendido a vacina e não o obscurantismo desde o início", escreveu. 




O líder da Oposição na Câmara, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), disse que o governo "escolheu cloroquina e desinformação". "Em vez de vacina, o governo escolheu cloroquina e desinformação. E assim o Brasil chega a 500 mil vidas perdidas para a covid-19. Fora, Bolsonaro!", ressaltou, no Twitter.

Você viu?



A líder do PSOL na Câmara, Talíria Petrone (PSOL-RJ), chamou o presidente de "genocida" e reivindicou vacina para a população. "Quantas vidas não poderiam ter sido salvas de não tivéssemos um genocida na presidência?".



Já o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid e que vem demonstrando duras críticas ao governo na comissão, disse que Bolsonaro dividiu o país. "O presidente idealizou a sua mais ousada e infame rachadinha: dividir o país entre cloroquina e vacina. A rachadinha do negacionismo é aposta que gerou resultado: meio milhão de mortos. Até agora. #VacinaParaTodos #19JunhoPovoNasRuas", escreveu. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários