Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Pedro França/Agência Senado
Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

O senador e vice-presidente da CPI da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), quer convocar o presidente do laboratório Apsen – que produz medicamento que tem a hidroxicloroquina como princípio ativo –, Renato Spallicci, para depor à Comissão. As informações foram apuradas pelo portal UOL .

A cloroquina e a hidroxicloroquina são contraindicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o tratamento da doença e não têm eficácia comprovada para o novo coronavírus. Além disso, a maioria dos fabricantes brasileiros também não recomenda o remédio para a Covid-19.

Randolfe também apresentou o pedido de informação para que a Anvisa se manifeste sobre o posicionamento da Apsen  em relação à utilização da hidroxicloroquina para a doença. O senador que saber se, "ao emitir posicionamento favorável ao uso da hidroxicloroquina no combate à crise sanitária", a companhia violou alguma legislação sanitária. Ou até mesmo se há algum tipo de investigação em curso na Anvisa.

Em sua justificativa, Randolfe disse que os documentos recebidos pela Comissão contém mensagens do Ministério das Relações Exteriores "fazendo gestões junto ao governo indiano e a essa empresa para desembaraçar a importação de hidroxicloroquina". Ele também afirmou que, "em seu site, a empresa se posiciona sobre o uso da hidroxicloroquina, fala de publicações que mostram melhora de pacientes que fizeram uso do medicamento e chega até a recomendar uma dosagem".

Em texto disponível no site da empresa, ela menciona artigos sobre o uso da hidroxicloroquina contra a Covid-19 que teriam indicado a melhora de pacientes com o remédio e aponta as doses recomendadas nesses estudos. No entanto, a Apsen coloca que recomenda o uso do medicamento "apenas nas indicações previstas em bula, as quais são aprovadas pela Anvisa".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários