Presidente Jair Bolsonaro atacou Júlio Lancelotti sem apresentar provas
Matheus Magenta - Da BBC News Brasil em Londres
Presidente Jair Bolsonaro atacou Júlio Lancelotti sem apresentar provas

O presidente Jair Bolsonaro atacou o padre Júlio Lancelotti nesta sexta-feira (28) durante conversa com seus apoiadores em frente ao Palácio do Alvorada em Brasília. O ataque vem  dias após o encontro entre o padre e o ex-presidente Lula (PT).

Bolsonaro relembrou um caso de extorsão envolvendo o padre Júlio Lancelotti, ocorrido em 2004, e fez acusações sem apresentar provas.

"Publicaram uma foto do Lula com o padre Lancellotti, de São Paulo. Eu não vou falar tudo aqui, não. Mas o Lancellotti deu uma Pajero para alguém um tempo atrás... Não vou falar tudo porque tem gente gravando. Ninguém vai dar uma Pajero assim, né? Então esse padre é daquele padrão: é o Padre Pajero, né? Então, os caras botam o padre com o Lula e acham o padre é aquele padre sério, responsável", afirmou Bolsonaro. 

Bolsonaro se refere a um episódio em que o padre alega ter sido extorquido  por um ex-detento da Febem, Anderson Marcos Batista, que na época tinha 25 anos.

À época, Júlio Lancelotti contou que o detendo alegava problemas financeiros e ameaçou divulgar um suposto caso de pedofilia. O padre disse ter sido ameaçado de agressão. Ele gravou as conversas com o ex-detento e entregou à polícia, mas acabou dando dinheiro a Anderson por medo das ameaças.

Segundo o Uol ,  Anderson teve pelo cinco carros de luxo em seu nome, dentre eles, uma Pajero (R$ 65 mil, valor na época), uma picape Nissan 2003 (R$ 65 mil), um Astra (R$ 35 mil), um Audi/A3 (trocou pelo Astra mais R$ 20 mil), um Meriva (R$ 35 mil). 

*Com informações do UOL.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários