Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello
reprodução/tv senado
Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello

O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello , afirmou nesta quinta-feira, 20, na continuação de seu depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 que os responsáveis pela falta de oxigênio em Manaus (AM) no início do ano são a Secretaria de Saúde do estado e as empresas fornecedoras, White Martins e Carbox.

Ao ser questionado pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) sobre a responsabilidade pela falta de cilindros de oxigênio em Manaus, Pazuello disse que não foi informado no plano de contingência da possibilidade da falta de oxigênio.

"Fica claro para mim que a preocupação com o acompanhamento do oxigênio não era o foco da Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas, porque não faltou oxigênio e ficou focada em outras coisas, em dezembro ainda. No próprio plano de contingência da Secretaria de Saúde não havia nenhuma medida sobre o oxigênio", afirmou Pazuello.

Em seguida, o ex-ministro responsabilizou a secretaria e as empresas fornecedoras de oxigênio. "A empresa White Martins, que é a grande fornecedora [de oxigênio] somada à produção da Carbox, uma empresa menor, já vinha consumindo a sua reserva estratégica e não fez essa posição de uma forma clara desde o início. Começa aí a primeira posição de responsabilidade. Não tem como isentarmos essa posição", disse.

"Cabe o contraponto disso, que é o acompanhamento da Secretaria de Saúde, que não foi feito. Se a Secretaria de Saúde tivesse acompanhado, de fato e de perto, a situação da produção e consumo do oxigênio, preocupada com o aumento do oxigênio, teria descoberto que estava sendo consumida uma reserva estratégica e que medidas precisariam ser feitas imediatamente. Vejo duas responsabilidades muito claras", declarou o ex-ministro.

O senador Eduardo Braga havia pedido que ele atribuisse responsabilidade pelo problema do oxigênio a alguém "já que, ontem, vossa excelência se eximiu completamente de qualquer responsabilidade, dizendo, inclusive, que agiu rápido. Alguém tem que ser responsabilizado pela morte dos brasileiros, e não apenas no Amazonas", comentou Braga.

O senador ainda falou em Crime de Responsabilidade cometido na crise do oxigênio de Manaus ao questionar quem autorizou o fechamento do hospital de campanha Newton Lins, na cidade de Manaus. Pazuello disse que a abertura da unidade de saúde em abril e o fechamento em julho foram decisões do governador do Estado, Wilson Lima (PSC).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários