Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara

Nesta quinta-feira (13), Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara dos Deputados, instaurou uma comissão especial para examinar a Proposta de Emenda à Constituição ( PEC ) do voto impresso . As informações foram apuradas pelo jornal O Dia.

De autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), se aprovada, a impressão de cédulas de papel após votação na urna eletrônica passaria a ser obrigatória. A decisão de Lira foi comemorada por Kicis.

"Não importa sua coloração política. Todos queremos que nossos votos cheguem aos nossos candidatos. Só um sistema auditável nos garante isso", declarou Bia Kicis em seu Twitter.

Implementação da comissão foi divulgada por Lira, após a aprovação e divulgação do texto-base do licenciamento ambiental . Ao lado do presidente da Câmara, estavam deputados aliados do presidente Jair Bolsonaro .

A deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS), também usou suas redes sociais para se manifestar contrariamente sobre a decisão tomada por Lira, que segundo ela, foi feita “na calada da noite”. "Pra quem achava que não dava para terminar o dia pior, o trator do autoritarismo mostrou que é possível, sim", publicou em sua rede social.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários