A oncologista Nise Yamaguchi
Reprodução
A oncologista Nise Yamaguchi

A médica Nise Yamagushi diz que o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa), Antônio Barra Torres , mentiu ao dizer que ela defendeu a alteração da bula da cloroquina para o tratamento da Covid-19. Barra Torres prestou depoimento nesta terça-feira (11) à CPI da Covid , comissão no Senado que investiga as ações eventuais omissões do governo federal na pandemia. A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo .

"Em relação à declaração do presidente da Anvisa hoje à CPI da Covid-19, o exmo. Dr. Almirante Barra Torres, esta não representa a realidade", afirmou Yamagushi por meio de nota. A médica disse que está disposta a depor na CPI, caso seja convocada.

"Já existem evidências científicas comprovadas para o uso de medicações que possam auxiliar no combate às fases iniciais da Covid-19 e, caso seja convocada, estarei à disposição da CPI da Covid-19 para esclarecimentos", afirma ela no comunicado.

Barra Torres confirmou informação dada à comissão na semana passada pelo ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. Em seu relato, Mandetta disse que um grupo de médicos propôs ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que a bula da cloroquina fosse mudada por decreto.

Segundo o ex-ministro, um rascunho da medida chegou a ser apresentado a ele em uma reunião no Palácio do Planalto em que Nise também estaria. 

Barra Torres disse que chegou a reagir de forma "deselegante" com os médicos. "Então, quando houve uma proposta de uma pessoa física fazer isso, isso me causou uma reação um pouco mais brusca. Eu disse: 'Olha, isso não tem cabimento, isso não pode'. E a reunião, inclusive, nem durou muito mais depois disso", disse o presidente da Anvisa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários