Senador Renan Calheiros (MDB-AL) durante sessão da CPI da Covid
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) durante sessão da CPI da Covid


 Renan Calheiros (MDB-AL), senador e relator da CPI da Covid declarou que caso “houver provas sobre os morticínios”, autoridades serão punidas e responsabilizadas pela crise sanitária acarretada pela pandemia, que deixou mais de 400 mil mortes no Brasil.

"Os fatos falam por si (…) O Brasil virou o cemitério do mundo. O fato de terem transformado o Brasil nisso não ficará impune. Seria a desmoralização de todos nós da CPI", afirma.

O responsável pela relatoria da Comissão rebateu supostas declarações do Palácio do Planalto , que acreditam que as investigações “não vão dar em nada”:

"Se houver provas sobre os morticínios, haverá, sim, responsabilização", diz. "A CPI não é uma briga de governo e oposição. Nem de grupos ideológicos. Ela quer mostrar a verdade. E vai mostrar o que aconteceu e o que fizeram para salvar, ou não salvar, vidas", completa Renan Calheiros.

Durante transmissão ao vivo na última semana, o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) classificou a CPI da Covid como “xaropada” e criticou membros da comissão. “Tem uns quatro (senadores) ali que pelo Amor de Deus, sabem tudo. São os mesmos de sempre”, disse.

Contudo, Calheiros declarou que pesquisas indicam que 70% da população está apoiando os trabalhos da Comissão, que segundo ele, já está gerando impactos positivos, com a aceleração de trabalhos do governo federal em busca de vacinas.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários